Dallas: The Price You Pay (01×03)

Tem alguém aí ainda?

Acho que sim, afinal Dallas parece estar dividindo bem os fãs de seriados: é ame ou odeie. No almoço da Discovery desta semana, cheio de fãs de séries, em minha mesa não conseguimos chegar a um consenso, metade dando as razões porque estava adorando, metade dizendo porque não gostava. Eu estava no segundo grupo, confesso.

Até admiti que deste terceiro episódio eu consegui gostar um pouco mais, seja por JR colocando uma navalha no pescoço do próprio filho para provar seu ponto de vista, seja ele tentando mostrar que agora é um cara legal após se mudar de volta para Southfork – sem enganar ninguém, vamos combinar.

Pois é isso mesmo: JR voltou para Southfork como parte do plano para que Bobby entregue de vez a fazenda aos compradores – que tem todo o jeitão de serem os bandidos mais bandidos do lado de cá do Equador.

É tudo exagerado demais, falso demais. Mesmo JR parece ter perdido seu toque – ele enganava bem melhor na primeira versão, em que foi capaz de forçar o casamento da sobrinha com um outro salafrário só para tirá-la de seu caminho.

E, como eu já disse antes, essa turma da nova geração é o óh do borogodó: ruim até o último. É só rever a tal cena da navalha de que falei para ter certeza de que eles não convencem ninguém. Não tem um que se salve.

Ah, e temos Cliff Barnes de volta com muito dinheiro no bolso, mas bem acabadinho para quem anda vivendo tão bem a vida, entrando na briga por Southfork e pelo amor de Christopher, seu sobrinho. Se conquista os dois consegue a tão desejada vingança dos dois irmãos Ewing que perseguiu a vida toda.

Sim, drama mexicano perde.

Também como eu disse antes é preciso ser muito para ser ruim o bastante para ser bom e eu não sei se Dallas encontrará esse caminho… E também não sei se verei o quarto episódio. Diz o povo que defende a série que ele é melhor que este.

Apostas?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Sorry!!! até esqueci você acredita? Amo a primeira versão. Quanto a new Generation não chego a odiar… mas como disse no outro post… alguns pontos falhos me decepcionou.

    Responder

    1. Hahaha acredito e te entendo muito, acabei assistindo depois do almoço porque o povo elogiou muito, mas acho que não vai pegar pra mim não.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *