Falling Skies: Live And Learn e The Armory (01×01 e 01×02)

Então, numa rápida pesquisa de internet você vai encontrar muita gente falando mal desse primeiro episódio de Falling Skies – e eles estão com a maioria, já que na exibição do terceiro episódio da série lá nos EUA a audiência teve significativa queda – só que aqui eu vou falar bem, estamos combinados?

É claro que eu estava ansiosa por Falling Skies, e não, não era por conta do “tio” Spielberg, mas por causa de Noah Wyle. Sim, eu sou uma orfã de ER, fazer o quê. E daquelas da primeira a última temporada, que viu Carter “crescer” e alçar seu próprio vôo, mas ficou esperando ele voltar na última temporada, então eu estava ansiosa para vê-lo de volta a tela.

Mas não, eu não vou elogiar o seriado só por causa dele, apenas vou dizer que eu gostei muito do personagem: primeiro porque né, é ele; segundo porque ele é professor de história gente e eu adoro história, então o que muito gente reclamou, o tom didático com que ele fala sobre o passado das guerras, eu adorei.

E, em verdade, eu achei que toda essa história, falar sobre a Guerra Civil Americana, falar sobre Alexandre – O Grande e os macedônios, falar do passado das guerras, acaba demonstrando que o foco da série não serão os extraterrestres, os tais sparks, mas sim os seres humanos e suas estratégias de sobrevivência.

Sim, a história ainda patinou um pouco e o episódio duplo não cumpriu totalmente sua função de nos convencer de que aqueles personagens são realmente bons – os dois episódios foram bastante centrados no professor interpretado por Noah, então – mas alguns já mostraram a que vierem (mesmo eu não gravando os nomes, tá?): a médica pediatra que se vê transformada em médica de guerra; Maggie, a moça que vivia entre bandidos (prova cabal de que nosso maior problema pode não ser os extraterrestres com cara de inseto) e o filho mais velho do professor (só foi sem graça a disputa de garotas pelo moleque, até porque Maggie deixa as duas no chinelo).

Os efeitos especiais não chamaram tanto a minha atenção, com exceção do tal inseto grudado nas costas das crianças sequestradas, que te desperta aflição e curiosidade ao mesmo tempo.

Sim, eu adoro ficção científica e tudo o mais, mas eu gosto mesmo é de personagens ricos e boas histórias, sendo assim, os dois primeiros episódios de Falling Skies podem ter devido algo, mas me convenceram a continuar assistindo e ver o que acontece. Só tenho medo de um final estilo Minority Report, motivo pelo qual não seria Spielberg a me atrair no seriado.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

8 Comentários


  1. Pois é, eu me preparei pra assistir, perdi o dia de estréia, peguei o horário da reprise mas… desculpe, dublado não dá.
    PT Saudações. Vou baixar pra assistir legendado.
    E também sou FÃ do Noah Wyle.

    Responder

  2. podem jogar pedras em mim mas assisto dublado sem problema algum

    bemm … como o pessoal comentou lá teleseries existe uma mistura de muitas coisas de outras séries, pra mim lembrou muito Jericho como também comentaram que lembrava The Walking Dead
    na verdade é difícil para fãs de séries que já assistiu muitas coisas não fazer comparações e comentários para FS, é bem verdade que os efeitos especiais não foram lá essas coisas mas vou continuar a assistir

    e concordo que a Meg deixa as duas garotas no chinelo

    Responder

  3. Não sou fã de Noah Wyle, mas nada tenho contra. Só que em seu lugar eu prefiriria Goran Višnji? (se era pra colocar alguém de ER, que colocassem o croata). rrrssss

    Adorei o enfoque: estratégias de guerras passadas, mas o que não convence é que o professor deveria ser um consultor, e não um cara que vai a campo com um bando de jovens e adolescentes inexperientes enquanto que os soldados ficam tomando conta da caravana. Muita forçação de barra (um herói que faz tudo?).

    O ponto alto para mim tb foi o das crianças estarem com aquele bicho grudado em suas colunas (tadinhos).

    O que acho que foi decepcionante é que, a todo o tempo, as chamadas mostraram brigas e seres de outro planeta e se esperou por isso.

    Não havia uma médica mais bonita pra escalarem? (depois dizem que eu implico) – As mocinhas tem obrigação de serem lindas.

    Maggie botou pra quebrar e tomara que desbanque as duas mixurucas.

    Responder

  4. Detalhe, tirando a parte do estupro que Maggie, provavelmente fora submetida, gostei da filosofiaa e estratégi dos bandidos (fingindo que havia ET). E, outro detalhe importante é que nosso professor e estrategista de plantão não é tão bam bam bam assim, pois a todo o momento, sua comunidade estava sendo monitorada.

    Lá vou eu torcer cotra!!!

    Responder

  5. Eu estava aguarando ansiosa por esta série…. por ser ficção, assinada por Spielberg e com Noah Wyler no papel principal… Achei meio depressiva e escura…. mas vamos lá… hj tem o terceiro episodio…. vamos ver oque nos aguarda…

    Simone, alguma noticia de qdo estreia Terra Nova?

    bjs

    Responder

  6. Estou como a Cleide. para mim tanto faz dublado ou legendado, contanto que eu assista. Na estréia optei por dublado.

    Responder

Deixe uma resposta