Grey’s Anatomy: Song Beneath The Song (07×18)

Aviso: a fim de manter a amizade tão cara para todos: se você realmente gostou desse episódio é melhor nem ler este texto. Eu sei que teve gente que gostou, inclusive se você der uma olhada nos blogs da minha lista com certeza você encontrará textos com este ponto de vista. Mas esse texto aqui é de alguém que não gostou nada nada do episódio. Então brigar por que, não é mesmo?

Após essa pequena introdução, lá vamos nós.

Não é porque eu adorei The Walking Dead que eu quero que todo seriado que eu goste seja invadido por zumbis comedores de cérebro. Isto posto, por mais que Glee tenha sido a mina de ouro, a novidade da temporada passada, o achado do momento, eu não quero ver os irmãos Winchester sapateando na tela enquanto caçam monstros, ok?

Era esperado que o sucesso de Glee fosse usado pela própria FOX em outras produções, e daí surge um episódio de Fringe mezzo-musical com clima de Casablanca e outro de House com uma Cuddy delirante imaginando o médico hiper-maquiado e de cartola cantando – e olha que a musiquinha não foi tão ruim considerando o atual andamento da série.

Nos dois casos eu não poderia falar que foram grandes episódios, mas também não foram desastres. Não foram desastres como o do carro de Arizona e Callie batendo na carreta, não foram desastres como os médicos do Seattle Grace cantando como se não houvesse amanhã.

Eu nem sei dizer o que eu menos gostei do episódio. Sério. Não sei se foi a hora em que eles começam a se revezar e a cantar cada um uma frase, se foi a Callie cantando para ela mesma (ela sentada em ela mesma na maca é o uóh),  se foi o povo cantando enquanto o pobre bebezinho luta por sua vida, se foi o Hunt cantando (que foi aquilo, meu senhor?).

Só salvou uma cena: Meredith e Derek naquele elevador. Ninguém cantando. Tristes porque o destino nem sempre é justo. Assim como os roteiristas também não o são.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

9 Comentários


  1. ahahahahahaha Disse exatamente isso na minha review pro TS, Si!! Sem mais pra acrescentar, falou tudo!

    Responder

  2. Simone! Concordo em gênero,número e grau com você. Quando assisti o episódio, juro que me perguntei qual seria a sua avaliação, eu já no inicio da cantoria não gostei.
    Bem verdade que eu já não sou adepta de filmes musicais, porém, esse episódio de Grey´s Anatomy só fez eu detestar ainda mais. Ficaria menos insuportável e ridículo, se só colocasse a Callie cantalorando e já estava demais, não sei nem pontuar o que foi pior, mas como você enfatizou, mais uma vez concordo, o Hunt foi de doer e dar vergonha.
    Detestei! Enfim, vamos esperar que o próximo episódio compense o desastre que foi esse.
    Adoro o seu blog e seus comentários!
    Beijos!

    Responder

  3. Isso mesmo!!!! Alguém que me entende!!! EEEE! ODIEI o episódio! Além do lari lará sem sentido, era centrado no trio que agora odeio também, de tão chato, repetitivo e dramático que ficou!

    Responder

  4. Achei o episodio mais chato!!! Fala Sério, eu adoro GLEE mas o proposito da série é outro!!!!!!

    Responder

  5. Vou dizer quase a mesma coisa que eu comentei em outro blog, achei que os momentos para os atores cantarem inapropriados, teve partes que eu gostei (como a história em si) e teve partes que eu detestei ( como alguns momentos com as canções). NO fim esse episódio parece que foi feito correndo, sem nenhuma revisão, muitos momentos deveriam ter diálogos e não gente cantando.

    Responder

  6. Simone,concordo com tudo que você disse!Houve momentos em que eu senti vergonha alheia,mudei de canal e voltei.um episódio pra se esquecer!!Afff!!Bjks!!

    Responder

  7. Então…um episodio que tinha tudo pra ser um dos melhores da temporada…não entendi bem o que quiseram passar.
    Acho ate que poderiam ter umas musicas, mas nem o Glee, que é um musical, não eh tão cantado assim.
    Só resisti a tanta “chatura” pois queria saber como seriam os destinos de Callie e a bebê.
    Uma pena….

    Responder

Deixe uma resposta