The Event: To Keep Us Safe (01×02)

Então sigam comigo:

Sean conheceu Leila 5 anos atrás, na faculdade, em Boston. Ela não sabia nadar, ele era da equipe de natação. O tempo passa e para que o pai de Leila, Michael, pilote um avião em cima da casa do presidente do país, alguém (não vou chamar de Os Outros, porque seria muita sacanagem), sequestra Leila e sua irmã, arruma uma acusação de assassino para Sean e mata a mão delas.

Se tudo foi por acaso, então é por acaso que Sean caiu no meio da confusão e o alvo era sua namorada. Se tudo foi por acaso, bem, quem sequestrou Leila arrumou encrenca para sua cabeça. Alguém mais não acreditou muito nos dois agentes que estão levando Sean em custódia?

Em 1944, uma nave espacial cai e parte de sua tripulação fica ferida. A fim de garantir que parte deles escape, Sofia, sua líder, manda que os que estão bem fujam, enquanto os que estão feridos acabam presos em uma instalação no Alasca. Nos dias atuais eles aparentam a mesma idade de quando foram encontrados, e ninguém fazia ideia de que parte do grupo havia escapado – e 1% de diferença no DNA é muita diferença, aprendemos aqui pois seriado também é cultura.

Essa parte do grupo é a responsável por salvar a vida de Sofia e do presidente, mas não deve ser tão boazinha assim, já que eles não pensam duas vezes antes de matar a todos que estavam no tal avião. Ah, o agente da CIA bonitão, Lee, faz parte do grupo e parece um cara legal.

O que eu desconfio: quem quer que tenha sequestrado Leila,ou não pertence ao grupo, mas sabe de sua existência, ou pertenceu um dia e se rebelou contra Sofia, que, ao que parece, ainda da as cartas mesmo de dentro da prisão.

E de novo a frase que dá título ao episódio vem de Sofia que, aparecendo bem pouco, tem conseguido ser a personagem mais interessante.

Sem sombra de dúvida o segundo episódio foi muito mais feliz em despertar minha curiosidade. E vocês, mais ou menos curiosos?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. continuo um pouco tonta com os flashbacks ….. mas é a idade nem precisam me matar =P
    se me perguntarem sobre teorias nem me arrisco pois depois de 6 anos com Lost prefiro mesmo é apreciar a série e deixar ser pega pelos mistérios e o que vier

    olha tenho que falar …. a temporada está uma gostosura só com tantos gatos invadindo a minha telinha

    como sempre Simone adoro vir aqui e ler os seus reviews

    ^^

    Responder

    1. Cleide, confesso que o que ajudou foi um recap do episódio lá no tvrage, porque eles marcam certinho o que aconteceu em cada parte e em que tempo era, porque se não… Acho que meus neurônios tbm estão meio gastos 😛

      Responder

  2. Tô gostando… pior, tô super curiosa o que me dá MEDA pois fiquei traumatizada com o cancelamento de FlashForward que me despertou o mesmo comichão…

    Responder

Deixe uma resposta