Cold Case: Soul (07×04)

Cold Case Soul S07E04

Não que eu não tenha gostado de Soul, achei um ótimo episódio no que se refere a fórmula de Cold Case que sempre vemos, mas, se ele é ótimo em relação a fórmula ele também peca no maior defeito de quando ela é aplicada: o culpado é o último de sua lista de suspeitos e é descoberto quando uma luz cai sobre os detetives durante o interrogatório do principal suspeito.

Não me entendam mal, gosto muito de Cold Case e acho terrível quando ele é criticado pelo formato que tem – a maior parte pessoal reclama que o crime é descoberto de forma mágica e que poderia ter sido descoberto anos antes, sendo que se tivesse acontecido nós nem teríamos o seriado, então nos poupem das reclamações e não assistam.

O que me deixa um pouco frustrada é quando a história tem reviravoltas demais apenas para justificar o suspeito eleito como culpado.

A despeito dessa chateação, Soul teve trilha sonora de primeira – aconselho a quem gostou a experimentar os CDs do BlueNote Records – e personagens com os quais consegui criar alguma empatia. De brinde, o meio irmão de Rush que surge.

A trilha sonora e os eventos relacionadas a morte serviram para Jeffreys falar sobre o soneto da Philadelphia e música negra de qualidade – adorei quando Ronde briga com Billy por ele trazer características da música dos Beatles para música que ele fazia e ele apenas responde que está pegando de volta.

Achei interessante ele buscando pela irmã e pelo passado do pai e, como sempre, fico na torcida por Rush, que é tão sozinha e infeliz quanto possível.

Para fechar o episódio ainda tivemos The Spinners com I´ll Be Around.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Olá Simone

    Também sou um fã do seriado Cold Cases. E este episódio foi principalmente interessante, pois a trilha sonora é fantástica.

    Parabéns pelo trabalho.

    Abs

    Responder

Deixe uma resposta