CSI: If I Had A Hammer (09×21)

CSI If I Had A Hammer 09x21

Eu estava reclamando da falta de Catherine na tela, então os roteiristas resolveram me dar um episódio todo baseado nela. Pena que, em nenhum momento, me pareceu que ela era a supervisora da equipe.

Em certos momentos, quando, por exemplo, Langston vai com ela ao local da cena para reavivar a memória, ele me pareceu muito mais experiente que ela. A questão é: ele até é mais velho, mas, caramba, ele era médico até ontem. Como é que ele se tornou o melhor coordenador das ações da equipe?

Já no quesito coisas que eu não acreditaria, mesmo vendo, o episódio foi rico: primeiro temos a história do martelo preso por anos em uma árvore, que acabou por crescer em volta dele, e sendo encontrado por Catherine; depois veio o fato de reconhecerem um carro pelo som de seu motor gravado em uma ligação do 911 de 18 anos atrás. É, nem vendo a gente acredita…

A despeito dos absurdos, o roteiro de If I Had A Hammer foi bem amarrado e a conclusão final, com Catherine mostrando que somente descobriu toda a verdade porque o culpado solicitou a revisão do caso e este admitindo que só fez isso porque havia se sacrificado por uma mulher que não fez o mesmo por ele, foi tão humana que até te emociona. – e o fato do culpado ser interpretado por Henry Thomas, o garoto de ET, só ajudou a criar empatia.

E Henry mais roteiro fizeram um ótimo trabalho em desviar atenções. Até o momento em que Catherine e Langston chegam à namorada dele eu estava acreditando que Catherine havia falhado, não por incompetência, mas pela pressão que sofreu em resolver o caso logo e o fato dele parecer um suspeito óbvio demais.

Ah, atenção ao título do episódio. Nada mais adequado, já que o martelo acabou sendo a peça principal na nova investigação que Catherine teve de fazer.

CSI If I Had A Hammer S09E21

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

5 Comentários


  1. Si, qdo eu vi esse episodio, na hora me lembrei de vc; Teve overdose de Catherine;
    Eu fiquei pensando como a pessoa pede revisão de algo que ele é culpado; Ele até me convenceu que era inocente em algumas partes de tanto que ele falava, e reafimava; Mas o Matelo foi o ponto principal; gostei do episodio, apesar de concordar com vc que a Catherine parecia mais subordinada do que chefe.

    Responder

    1. É o cúmulo da arrogância, isso sim. E depois desse episódio com tanto da Catherine eu prometo não reclamar da falta dela tão cedo…

      Responder

  2. Pensei a mesma coisa quando eles encontraram o martelo, forçaram demais né?
    Achei Catherine muito arrogante, será que não pintou nenhuma dúvida e ela podia estar mesmo errada? Condenou o cara com base em uma pedra e ficou afirmando o tempo todo que ele era culpado sem sombra de dúvida!
    Sua atitude prepotente quando interrogada pelo rapaz foi extremamente antipática. Sabe que até torci para ele ser inocente e ela ter errado, teria sido um final mais bacana. Mesmo porque era o Henry Thomas, o garotinho de ET e a gente fica lembrando de sua carinha fofura de 27 anos atrás!

    Responder

    1. Foi o que eu disse para a Tati: depois de tanta Catherine e ela tão chata, tão cedo eu não reclamo mais dela não. E eu jurava que ela tinha errado. Até seria interessante se fosse assim, né? Parece que eles nunca erram.

      Responder

  3. O pior que teve mais overdose de Catherine nessa segunda; rsrsrsrsrsrs

    Responder

Deixe uma resposta