Eleventh Hour: Ressurection (01×01)

eleventh-hour

Depois da irritação com a exibição de Cold Case sem vozes me preparei para assistir a estréia de Eleventh Hour, a segunda mais esperada por mim entre os seriados novos (ainda estou mais curiosa sobre Flashpoint).

A versão da CBS com Rufus Sewell como o Dr. Jacob Hood e Marley Shelton como Rachel Young para um seriado inglês até que agradou, foi uma boa diversão de uma hora, apesar de eu não saber, até agora, se os clarões que apareciam na tela de vez em quando eram do seriado ou mais um problema da Warner.

O episódio Ressurection fala sobre clonagem de seres-humanos partindo da premissa de que a questão não é quando será feito, mas sim quando saberemos disso. O clima meio sinistro seria dado pela fumaça saindo do chão na maior parte das cenas e o fato da cidade de Seattle ter um clima meio Twin Peaks (muitas árvores em volta, estradas cheias de curvas, casas de tijolo aparente) na maneira que foi filmada.

Hood e Shelton acabam na cidade após 19 pequenos containeres de lixo médico serem encontrados com fetos com problemas de formação serem encontrados. Hood descobre que todos tem o mesmo DNA, o que prova a teoria de clonagem.

A história passa super rápido, levando os dois ao rico que perdeu o filho e paga para tê-lo de volta, um velho clichê que é repetido desde sempre desde que se falou em clonagem pela primeira vez. Mesmo sendo um velho clichê a história rolou redondinha.

Senti falta de ser melhor apresentada aos personagens, a idéia de que eles vão demorar um bom tempo para nos dar informações sobre o passado deles ficou bem clara, talvez os roteiristas achem que isso criará suspense suficiente para nos manter ligados.

Eu passei a maior parte do episódio pensando: por que raios ele precisa de proteção e até tem um botão de pânico próprio? O que ele fez com os agentes de proteção anteriores que deixa a Rachel em posição tão defensiva certas horas? Ao mesmo tempo, ela parece ter confiança muito grande no conhecimento dele.

Eu gostei da diferente abordagem da dupla principal, pelo menos por enquanto, que não cria clima. A dinâmica dos dois fica mais interessante. Tipo, se existisse o tal clima, a cena de Rachel descendo para o bar do hotel de lingerie e roupão não ia ter tanta graça quando teve.

Rufus, diga-se de passagem, é um de meus atores sombrios preferidos. Ele tem aquele jeitão de quem olha tudo de cima, tudo de fora, e você nunca sabe exatamente o que ele está pensando. Acho isso muito atraente. Gostei mais dele no papel do que Rachel, mas ela também não se sai de todo mal.

As comparações com X-Files são inevitáveis, mas, por enquanto, tive a impressão de que o seriado vai conseguir manter uma identidade própria, fiquei até na dúvida de como classificar o seriado: policial? sci-fi? E ter Bruckheimer como produtor, para mim, é bom sinal.

O primeiro episódio desceu redondo e me deixou curiosa pelo próximo, o que já é um bom sinal. Ele não teve nenhum mistério insolúvel, mas teve suspense e aquela sensação de agonia de quanto o tempo está contra os heróis. Vou apenas não criar expectativas demais, como o Paulo Antunes bem diz, um bom piloto nem sempre garante um ótimo seriado.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

8 Comentários


  1. Sabe o que me passou pela cabeça ao terminar de assistir Eleventh Hour,tá legal……mas cade o começo de tudo? como ele foi parar lá? como a moça do FBI ficou como “baba” dele e outros pontos que não me ficaram a lá muito claro; Gostei da série…..não vou dizer que é foi a melhor e tal…..mas sei lá…..vamos aguardar para ver o resto…….
    Si vc ficou sabendo do Eric?Fiquei triste por ele, tão novo 🙁

    Responder

  2. Tati,

    O jeito é esperar mesmo e torcer, porque tá estreando tão pouca coisa…

    Fiquei sabendo do Eric sim. Ainda não processei direito e por isso nem escrevi nada.

    Responder

  3. É realmente tem pouquissima coisa estreando mesmo….E as poucas que tem eles dão mancadas ainda por cima, assisti cold case na reprise e ele deram mancadas tbém……as legendas com atraso, mas deu para assistir……

    Mas a Warner está de sacanagem, só pode….

    Sobre o Eric, foi uma vida, que se foi muito cedo.

    Responder

  4. Oi Naomi, pela grade que eu montei reprisa as 2h da manhã de sexta feira…..não sei do final de semana.

    Responder

  5. De nada Naomi……e meu gravador trabalhando essa semana……pois não estou conseguindo acompanhar nada…….mas no fim de semana tento colocar em dia;
    É Si, e da-lhe a Warner fazendo “M” bem gde…….

    Responder

Deixe uma resposta