Medium: But For The Grace Of God (04×02)

O segundo episódio de Medium mantém a qualidade do primeiro?

Hummm… Mais ou menos. O começo aterrador estava lá de novo. Dessa vez, ao invés de um garoto sendo sequestrado, um terrível acidente de carro. E, dentro do carro, a adorável Ariel. Em mais um sonho de sua mãe.

O principal diferencial foi ver a nova interação entre Allison e a agente Cynthia Kenner – Anjelica está ótima no papel, não é não? – que, pela primeira vez, tenta a ajuda de Allison sabendo o que ela pode fazer, incluindo um adiantamento pelo que ela puder oferecer. Mas, mais uma vez, vemos que Allison não tem um botãozinho de ligar e desligar e que, nem sempre, ela tem as respostas.

Quem acaba tendo a resposta sobre o caso, o desaparecimento de uma garota, é Ariel, que tem sonhos onde ele é a melhor amiga de sua mãe, Casey, cujo destino em uma noite de farra, Allison desconhecia.

Mais uma vez vemos como Ariel cresce, junto com a atriz que a interpreta, e nos dá prazer ver crianças mais próximas de seres humanos do que na maioria dos programas de tv, quando elas seguem um modelo meio pré-definido que ou é fofinho ou é uma peste.

O sonho de Ariel tomou boa parte do episódio. Ter um sonho da juventude de sua mãe, conhecendo um lado dela que ela não conhecia, foi muito interessante. E ver Allison chorando e cantando Crowded House foi hilário e catártico.

Mas o que aconteceu com Casey, sendo abusada por um policial, me deixou de queixo caído… E morrendo de medo. Afinal, policiais deveriam ser a parte confiável de nossas vidas. E saber que ele pode ter abusado de tantas outras, até ser finalmente pego por Cynthia e a polícia a partir do sonho de Ariel, é mais assustador.

Só faltou tratar melhor a reação de Cynthia, que parece ter aceitado de forma normal demais o fato de Ariel também ser uma médium.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Eu acho que a qualidade não diminuiu, gostei muito do episódio, relacionar o sonho entre mãe e filha foi bem legal, embora não seja o primeiro episódio que isso tenha acontecido, mas perceber que no final ela via a Ariel sofrer o acidente porque a Ariel sonhava ser a amiga dela, que foi quem realmente sofreu o acidente, foi uma solução bem criativa.
    Outra coisa que Medium tem de bacana, é que os sonhos da Allison nunca vem prontinhos, precisam sempre ser interpretados.

    Responder

  2. Ivonete,

    Realmente, a parte dos sonhos serem descobertos aos poucos é uma das melhores… Mas o que gosto mesmo é a parte da família… os personagens.

    Responder

  3. Assisti Medium uma vez apenas..e olha que sou espírita..rss..mas não me atraiu.Vou ver se começo a assisitr a partir de teus resumos!

    Responder

Deixe uma resposta