Damages: We Are Not Animals (01×07)

Damages S01 E07

Dos desafios da semana, escrever um review de Damages que não seja só não agüento mais, é muita chatice para uma série só e tudo o mais, é o maior deles.

Tudo bem, o episódio dessa semana teve UM momento interessante, com algo novo, com algum tipo de resposta ou pista. Mas UM momento interessante em um apanhado de 04 episódios (vamos colocar só os mais chatos nessa conta) é muito pouco para te convencer a encarar os quarenta minutos do episódio e a leva restante de mais seis episódios restantes para entender como Ellen foi parar, cheia de sangue, naquele apartamento. E, digo mais, o final vai ter que ser muito bom para compensar tudo isso.

Damages segue entregando pouco e complicando muito. Cada vez mais linhas são traçadas na trama de Patty e Frobisher e esse domínio que os dois têm do mundo. Como eu li em um site americano: chega dado momento que os telespectadores precisam ser recompensados pelo seu interesse. Nós estamos na metade da temporada e eu continuo tão confusa quanto no primeiro episódio.

Não ajuda nada o entendimento o bando de flashback em diferentes períodos que é jogado na tela: uma hora estamos no presente, na delegacia, aí vem o flashback do assassinato, com cenas de Ellen no apartamento de Patty e em seu apartamento, aí corta e vêm cenas de sei lá eu quantos meses atrás, do andamento do caso Frobisher. Aí volta uma, muda a cor da tela, volta ao presente, volta ao passado, mas não muda a cor da tela… Ahhhhhhh!

O que realmente ficou desse episódio foi percebermos que a Ellen lá da delegacia já não é mais tão tolinha e sabe que Tom está mentindo para ela, que ele sabe de Patty. E ela coloca seu advogado no encalço dos dois. Confesso, ver ela finalmente fazer algo inteligente me comoveu (exagerei, eu sei).

Com o resto da história não andamos muito: Gregory Molina teve um relacionamento com Ray (ou você acha que não?), que acabou por lhe dar acesso a informações confidenciais, dando no rolo dele ter vendido as ações na mesma data que Frobisher.

O rapaz está assustadíssimo, e com razão, mas eu também não sei de quem ele deveria ter mais medo: Patty vai ajudá-lo enquanto isso for do interesse dela. Mas ela seria a melhor opção dele no momento, já que o lado de lá já desistiu dele. Aí vai o trouxa e resolve sumir, deixando para trás a pequena chance que tinha de ainda se safar dessa história. Ou alguém acha que ele ainda vai ficar vivo?

No tempo presente, Ellen resolve começar a contar sua história aos policiais. Segundo conta, Ela e David tiveram uma briga naquela noite e, por causa dela, ela foi passar a noite no apartamento de Patty, que estaria fora da cidade. Lá ela foi atacada por um homem que ela não conhecia e, enquanto se defendia, acabou por matá-lo, deixando-o na sala de Patty.

Chegando em seu apartamento ela encontra a porta aberta e David já morto. Parando aqui: hummm, Patty sai da cidade e alguém invade o apartamento de Ellen. Acho que isso pode ser um indicativo de que a advogada mais má do universo queria se livrar da sua pupila. Tanto deve ser verdade porque Patty era a única a saber que Ellen poderia estar em seu apartamento e seria muita coincidência os dois apartamentos serem invadidos com dois objetivos diferentes, não é não?

Também poderíamos pensar que David era o alvo do assassino do apartamento, mas para isso teríamos que saber até que ponto o médico foi capaz de irritar Patty com suas atitudes. Enquanto no apartamento de Patty o alvo seria a própria loira. Humm, nisso que dá tanta teoria conspiratória, agora a gente não sabe quem é mocinho, quem é bandido.

Um indicativo de que a própria Ellen seria o alvo foi o flashback que mostrou que Tom amarela e acaba admitindo para a sócia que tentou contratar Ellen, enquanto essa manteve o segredo achando que Tom é seu amigo. Ela esqueceu a principal lição de Patty: não confie em ninguém. Essa confissão de Tom poderia ter colocado Patty contra Ellen e quando a segunda se tornou dispensável ela resolveu dar um jeito nisso.

Diga-se de passagem, essa traição de Tom foi obra da própria Patty, que conseguiu colocar um contra o outro com seu joguinho. E só Ellen conseguiu perceber, mostrando que Tom realmente não sobreviveria no mundo real: muito tolinho.

A polícia nada encontra no apartamento de Patty e Ellen fica cada vez mais encurralada, motivo pelo qual pede a ajuda de Tom, que, com cara de bom moço, mostra sua natureza de serviçal de Patty. Resta saber se colocar seu advogado atrás dele vai render alguma coisa.

Patty mostra conhecer muito bem a alma humana. Quem sabe essa seja sua principal característica e o que acabou por torná-la uma advogada de tanto sucesso: coloca Tom e Ellen um contra o outro, faz o jogo de dar o poder ao filho para tê-lo de volta. Até mesmo em relação ao sumiço de Gregory eu acredito que ela tenha uma carta na mão.

P.S. Não entendi até agora o nome do episódio…

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

6 Comentários


  1. “Confesso, ver ela finalmente fazer algo inteligente me comoveu”

    chorando de rir!

    damages daria um bom filme. talvez uma boa microssérie, com 6 capítulos no máximo.

    Responder

  2. O nome do episódio vem de uma fala de um personagem. Não me lembro ao certo de quem mas acho que do Forbisher quando questionado sobre matar o Gregory.

    Responder

  3. Ainda estou gostando de Damages mas também já estou me cansando um pouco desta trama tão confusa. Mas é uma temporada curta. Vou resistir até o fim 🙂

    Responder

  4. Quando alguma série começa me enrolar muito eu paro de assistir, pois tenho coisa melhor para fazer, foi assim com Heroes, com o primeiro episódio de Californication, e mais algumas outras, mas não consegui parar de assistir Damages (já acabei a primeira temporada) e Lost, duas séries cheias de mistérios, que parecem que não vão chegar a lugar nenhum.
    Bem, Damages tem uma cocnlusão nessa temporada, cada temporada é uma história fechada, então no fim dos 13 capítulos você vai ver a resolução da trama, se ai valer a pena… bem isso é de cada um, eu acho a série muito bem escrita e editada principalmente.

    Ah, e os nomes dos episódios são sempre falas de algum personagem.

    Abraços!
    Primeira vez que passo no seu blog.

    Responder

  5. Simone, eu estava achando que eu estava doido já. Porque Damages está me cansando MTO, assim como vc falou os episódios não fornecem pistas o suficiente.

    E tipo, primeiro a Kate foge da Patty e agora o Greg. Repetir a história assim numa mesma temporadaa? Que sacooo… rsrs

    E tem mesmo algumas cenas confusas trocando o presente e o passado.

    Responder

Deixe uma resposta