CSI NY: Time’s Up (04×04)

CSI CAPS

*publicado originalmente 25/10/2007

Viagens no tempo são possíveis? Juro que nesse episódio você pode ficar meio confuso antes de dar uma resposta. Ah, e CSI NY segue na quarta temporada surpreendendo pela qualidade. Não estou acompanhando CSI e CSI Miami (odeio Caruso, odeio), mas me atrevo a dizer que ele está melhor que os outros dois, do que CSI Miami com certeza.

Um homem nú e com umas coisas engraçadas na cabeça entra sangrando na delegacia. Caído ele confessa para Mac que matou um homem, ou melhor, ele confessa que vai matar um homem, mas somente no dia seguinte. Como isso? Poxa, ele viajou no tempo, oras!

Quando a polícia vai a casa da alegada vítima ele está muito bem, e na delegacia diz não conhecer o estranho morto. Um chip encontrado em seu corpo permite identificar um sinal de transmissão e, assim, a equipe chega ao endereço da vítima (ou assassino).

Descobrimos o lado geek de Hawkes que reconhece o morto como um famoso físico, ganhador de um prêmio milionário de ciência. No apartamento, uma máquina do tempo, das mais inventivas.

É engraçado como o tema fascina a todos, inclusive pessoas não ligadas em tecnologia.

No dia seguinte, no exato horário dito por Browning, o morto nú, um corpo desaba sobre uma parada. Nada mais nada menos que Kevin, o homem que Browning disse que iria assassinar. As coisas começam a ficar sinistras…

A investigação mostra que Kevin, em verdade, era assistente de Browning em seu experimento de viagem no tempo, experimento esse em que o cientista vinha dedicando tudo em sua vida. Kevin havia respondido um anúncio na faculdade a procura do assistente, mas ele não foi o único.

Entra em cena um bandido do pior tipo, enganador. Ele vê no anúncio a oportunidade de roubar o apartamento do cientista, mas acaba fascinado pela idéia de viajar no tempo e passa a acreditar em tudo que o cientista diz, usando as ditas viagens no tempo para obter resultado de jogos esportivos e de azar e, assim, fazer dinheiro.

Em determinado momento do episódio não só a gente, como até Mac começa a acreditar que o cara realmente viajava no tempo.

Mas a resposta é bem mais simples que isso, é sempre mais simples: Browning tinha uma agulha ligando os dois hemisférios de seu cérebro. Provavelmente desde sua tenra infância.

Essa agulha não só aumentava certas habilidades do cientista, devido ao fato de conectar as diferentes habilidades dos dois hemisférios, como também causava convulsões epilépticas. Isso, mas uma máquina elétrica que soltava energia por todos os lados criaram a impressão de que ele realmente viajava no tempo.

Aos assistentes ele dizia que havia viajado no tempo e voltado no exato instante em que saiu, de maneira que eles não percebiam a sua ausência, e estudos estatísticos o ajudaram a acertar a maior parte dos palpites ligados aos jogos.

Mas, devo dizer, o caminho para estas descobertas foi maravilhosamente percorrido ao longo do episódio.

Enquanto Mac e Hawkes se deixam envolver por toda a mística do tema, Stella e Danny investigam a morte de uma garota em um restaurante, após o que pareceu ser um orgasmo. A investigação leva a uma nova droga, que vinha sendo testada em estudantes, e que foi dada à vítima para que ela perdesse a virgindade.

A cena da garota que deu a droga sem que a vítima soubesse sendo presa foi ótima, mas, confesso, quando o outro caso da noite envolve viagens no tempo, não tem como você prestar atenção em mais nada.

Caso encerrado, Mac volta ao escritório. Não recebe uma nova ligação, mas uma carta de Peyton, que não explica muito, mas diz não poder continuar com a relação, já que ela quer morar em Londres enão acredita em relacionamentos à distância. Eu, que adorava os dois juntos, prefiro acreditar que existe algo mais escondido nessa história do que acreditar que ela simplesmente resolveu deixá-lo.

Mas, depois de tudo que já passou, Mac não iria se deixar abater por isso. Ele segue para o bar, onde seu baixo lhe faz companhia enquanto ele toca uma ótima música, como vocês podem ver no vídeo que coloquei aqui no site ontem.

CSI NY

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Eu odeio o Caruso e adoro o Sinise. E todo o resto da equipe de CSI:NY é muiiito melhor do que a de Miami.

    Responder

  2. Si, tô adorando ler CSI:NY antecipado.. só que vc ta me deixando com agua na boca! hahaha Eu quero baixar tb… e como nao faço isso ha mtoooo tempo, nao lembro onde baixava. Onde vc baixa, plz?

    Comentando… nao odeio o Caruso/Horatio, mas eu queria entender pq ele sempre fica de lado pra falar com alguem, e repete as frases… isso é irritante. E outra, ele nao pôe a mao na massa como o Mac e o Grissom… CSI NY é excelente, demorei mas descobri…

    Tô ansiosa pelo epi dessa semana!! hehe Bjos

    Responder

  3. Oi Silvia!

    Esse é o primeiro ano que eu tô assistindo antecipadamente, e não me arrependo.

    Eu tô usando o eztv.com. Tô achando ótimo.

    Beijos

    Si

    Responder

  4. Fiquei com pena do Mac, eu sempre gostei tanto dele com Peyton… Mas os casos desse episódio foram realmente ótimos, bem estilo CSI:NY, com as loucuras de lá…

    Responder

Deixe uma resposta