Apple TV: Slow Horses

Com o pouco esforço que a Apple faz por aqui para divulgar suas produções (seriam os usuários de iPhone são audiência o bastante?), não é nada chocante ver o quanto as séries do serviço de streaming da maçã são desconhecidas do grande público. Mesmo Ted Lasso, série perfeita, com montes de indicações a prêmios, favorita forever, que tem pano de fundo o futebol, esporte nacional, só foi descoberta por pequena parte da população (eu continuo aqui evangelizando a todos, inclusive indiquei a série para todo mundo da firma, literalmente).

Então já sinto que é minha obrigação contar a vocês que, além de Ted Lasso, a Apple TV está recheada de ótimas produções.

Entre elas uma que simplesmente tem em seu elenco Gary Oldman (capaz de nos encantar ainda que seu cabelo esteja grudento e sua roupa completamente amarrotada) e Kristin Scott Thomas (linda, elegante, poderosa e não confiável) – claramente se divertindo horrores.

E se eu te falar que a série, além destes dois, conta ainda com um conjunto de roteiro inteligente, suspense, cenários incríveis (L-O-N-D-R-E-S) e um tema que amamos (ESPIONAGEM)?

Neste momento você já está instalando a Apple TV na sua TV ou stick (em celulares e tablets sem iOS, é necessário assistir pelo navegador) e digitando Slow Horses na barra de busca? Se não está, devia.

Baseada na série de livros de Mick Herron, a produção é protagonizada por um grupo de espiões britânicos que o MI5 acredita serem ruins, mas não ruins o bastante para serem demitidos – seja porque sabem demais, seja porque são de uma família importante, seja porque um dia fizeram algum trabalho realmente relevante.

Esse grupo é relegado a um posto na Slough House sob a chefia de Jackson Lamb (Oldman). E o prédio da sede deixa bem claro o quanto eles são desprezados: portas travadas, carpete rasgado, paredes sujas. Lamb e seu já citado cabelo grudento, camisa com botões caídos e barba eternamente por fazer poderia inclusive ser considerado parte da mobília, de tanto que se encaixa ali.

E não por acaso esses espiões são conhecidos como Slow Horses, em nosso português muito mais charmoso: os pangarés.

A cada temporada a equipe da Slouhh House tem um problema para resolver, que normalmente inclui salvar a própria pele e não serem usados como bode expiatório por algum erro cometido na Central, onde Diana Taverner (Kristin) é a sub diretora e chefe das operações que incluem os pangarés.

Aqui a história se inicia quando River Cartwright (Jack Lowden) não somente erra, mas erra sendo assistido por TODO MUNDO do MI5 e é despachado para a Slough House – pouco importa que seu avô tenha sido um dos mais importantes nomes na espionagem britânica e seja vivido por Jonathan Price. River consegue ser, ao mesmo tempo, o melhor espião que você já viu e o cara mais azarado do mundo. Que consegue quase sempre tomar a decisão mais errada naquele momento.

Esqueça os efeitos especiais ou manobras loucas de Tom Cruise em Missão Impossível, ou os apetrechos de James Bond em 007. O clima aqui é mais intimista, tiroteios não acontecem a torto e direito, a questão é ser o mais discreto e inteligente possível, antecipar o movimento do adversário e garantir que você não acabe na lata de lixo do beco mais próximo. As pessoas se machucam quando apanham ou caem de lugares altos, cometem erros e precisam correr atrás do prejuízo. Ninguém está fora dos limites e pode morrer.

Quem começar a série agora terá 3 deliciosas temporadas para maratonar. A quarta temporada tem estreia prometida para o final deste ano e a quinta já está garantida para 2025. Eu garanto: você vai amar.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta