Cinema: Coronation

Em dezembro de 2019, o primeiro caso do novo coronavírus foi confirmado em Wuhan, na China. As autoridades chinesas negaram que a transmissão de pessoa para pessoa fosse possível, ocultaram o número de pacientes diagnosticados e puniram a equipe médica por divulgar informações sobre a epidemia. Em janeiro de 2020, a cidade foi colocada sob lockdown e, logo, a Covid-19 tornou-se uma pandemia global.

Figura conhecida na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, o cineasta chinês Ai Weiwei chega para 44 edição do evento com Coronation, documentário que examina o controle político do Estado chinês do primeiro ao último dia do lockdown em Wuhan.

O longa registra a resposta brutalmente militarizada do governo para controlar o vírus, os amplos hospitais de campanha que foram erguidos em questão de dias, os 40 mil médicos e enfermeiros que foram trazidos de ônibus de toda a China, além dos moradores locais, que foram trancados em casa.

Apostando em uma linguagem direta, sem narração, com filmagens feitas por cidadãos comuns de Wuhan, Weiwei confirma com Coronation o seu posto de cineasta das causas urgentes. O longa traz para o debate a questão humanitária por trás do aparato militar com que a China lidou com a pandemia. Se estamos falando em salvar vidas, como isso pode ser feito de maneira tão insensível? Até que ponto o Estado pode controlar a liberdade dos cidadãos sem o devido suporte emocional para tal?

Apesar do tema atual e necessário, o documentário foi recusado por diversos festivais e teve negociações canceladas com Amazon e Netflix. Entraves que se explicam por ser um conteúdo que questiona o governo de um país com o qual essas instituições querem fazer negócio. Para nossa sorte, a Mostra SP não teve medo de comprar essa briga.

Ainda que incômodas, as questões tratadas em Coronation são imprescindíveis de serem debatidas. E isso precisa ser feito já. Afinal, passados quase onze meses do lockdown inicial de Wuhan, ainda estamos em pandemia.

Com direção de Ai Weiwei e fotografia de Chen Bing, Da Xie, Guo Ke, Huang Kankan, Li Wen, Peng Liming, Rachel, Shu Dizhan, Tong Hao, Tsering Woeser, Wang Kunpeng Yu Wei, Zhang Sanfeng e Zhang Wenwu, Coronation teve pós-produção feita de maneira remota na Europa.

A Mostra Internacional de Cinema em São Paulo terá edição majoritariamente digital esse ano. O evento inicia-se no dia 22 de outubro e você pode assistir títulos como esse e muitos outros pelo site da Mostra (www.mostra.org), que irá direcionar para as plataformas parceiras. Além das exibições online, também ocorrerão sessões no Belas Artes Drive-in e no Cinesesc Drive-in (na unidade Sesc Parque Dom Pedro II).

Trailer sem narração e sem legenda (os títulos terão legendas em português na plataforma).

 

Escrito por Tati Lopatiuk

Tati Lopatiuk é redatora e escritora em São Paulo. Gosta de romances em seriados, filmes, livros e na vida. Suas séries favoritas são Gossip Girl e Breaking Bad. Pois é.

Seus livros estão na Amazon e seus textos estão no Medium.

Deixe uma resposta