Cinema: O Sol Também É Uma Estrela

Natasha Kingsley (Yara Shahidi) e Daniel Bae (Charles Melton) estão destinados a ficar juntos. Não eu não estou estragando o filme para quem ainda não viu afinal você consegue enxergar isso desde o primeiro trailer divulgado. Ou na imagem do poster. Ou nos primeiros minutos do filme.

Percebemos isso antes mesmo de Natasha, cujo destino coloca no caminho de Daniel no último dia do resto de sua vida, quando ela aposta tudo em uma única chance para que sua família não seja deportada dos EUA – ela, seu irmão e seus pais nasceram na Jamaica e tiveram seu visto de permanência no país negado.

Não bastasse a preocupação que domina seus pensamentos, Natasha ainda é uma garota longe de romântica: pragmática, apaixonada por ciência e astronomia, ela acredita que o amor é apenas um conjunto de reações químicas acontecendo em nosso cérebro.

Daniel Bae é seu exato oposto. Nascido em uma família coreana bastante tradicional, seu destino é se tornar médico, mas ele é mais do tipo poeta. Ele vê Natasha na grande estação central de Nova Iorque com sua jaqueta amarela e acredita que o destino os levou até ali para que pudessem ficar juntos.

Ele terá apenas algumas horas para provar à Natasha que está certo.

Além do simpático casal principal, preciso destacar a forma bela com que Ry Russo-Young retrata a cidade de Nova Iorque: você chega a acreditar que ela é mágica – pontos extras para a direção de fotografia.

Não que o filme seja inovador, tenha um roteiro profundo ou diálogos inteligentes, ele na verdade é mais um representante genérico da categoria romance-adolescente: trata superficialmente de alguns problemas bastante reais, embalado por música pop chiclete.

Mas ele funciona. Você se apega ao casal, principalmente ao Daniel e fica torcendo para que ele “vença” a aposta e fique com a garota.

Um filme leve feito para fugirmos da realidade e acreditarmos um pouquinho no amor.

O Sol Também É Uma Estrela discute se a vida é determinada pelo destino ou por eventos aleatórios do universo.

O filme é estrelado por Yara Shahidi (“Grown-ish”) no papel de Natasha e Charles Melton (série de TV “Riverdale”) como Daniel, junto com John Leguizamo (“John Wick: Um Novo Dia Para Matar”).

Com direção de Ry Russo-Young (“Antes que Eu Vá”), o filme é baseado no aclamado bestseller da escritora Nicola Yoon, autora do livro “Tudo e Todas as Coisas”.  O Sol Também É Uma Estrela ficou em primeiro lugar na lista de bestsellers do New York Times e recebeu múltiplos prêmios e indicações, incluindo: finalista de 2016 do National Book Award; Melhor Livro de 2016 na categoria juvenil pela Amazon; lista dos 20 melhores livros para crianças de 2016, também da Amazon; lista de livros notáveis para crianças de 2016 do New York Times; e lista dos 10 melhores livros de 2016 da Entertainment Weekly.

Russo-Young dirige o filme a partir do roteiro de Tracy Oliver, que escreveu “Viagem das Garotas”. As produtoras do filme são Leslie Morgenstein e Elysa Koplovitz Dutton, que produziram “Tudo e Todas as Coisas”. Pamela Hirsch é a produtora executiva.

A equipe criativa ainda conta com a diretora de fotografia Autumn Durald (“Teen Spirit”), o diretor de arte Wynn Thomas de “Estrelas Além do Tempo”, o editor Joe Landauer de “Antes que Eu Vá”, e a figurinista Deirdra Elizabeth Govan (“Sorry to Bother You”). A música é de Herdís Stefánsdóttir (“O Ódio que Você Semeia”).

Warner Bros. Pictures e Metro Goldwyn Mayer Pictures apresentam uma produção da da Alloy Entertainment, O Sol Também É Uma Estrela, que tem estreia prevista no Brasil para esta quinta, 16 de maio de 2019.

P.S. Serei obrigada a olhar para o teto no dia em que tiver a oportunidade de estar na Grand Station.

P.S. do P.S. Como lembrança da cabine, o pessoal da Warner nos deu um pacotinho cheio daquelas estrelas que devem ser coladas no teto e brilham no escuro, sabem? Eu sempre quis algo assim quando adolescente… Será que estou velha demais para isso?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *