Golden Globes 2019

Noite de festa, de falar mal dos vestidos, elogiar os atores bonitões em seus trajes e, claro, torcer por seus favoritos. A única coisa que sempre me incomoda na primeira grande premiação do ano é que, nas categorias de cinema, nunca dou conta de já ter visto todos os indicados. Com a apresentação de Andy Samberg e Sandra Oh, pra mim a associação da imprensa internacional já começou acertando.

Neste ano pelo menos consegui me garantir nas categorias de filme dramático para poder fazer algumas apostas – lista completa de indicados aqui.

CINEMA

Melhor filme – Drama

Sim, todos se derramam em elogios a Pantera Negra e Nasce Uma Estrela, e a gente nunca pode ignorar as outras questões que influenciam os votos da imprensa – e que passam longe da qualidade dos filmes, como o momento político, a presença de estrelas, o uso da maquiagem e próteses nos personagens principais -, mas meu favorito nesta noite é Infiltrado na Klan, Spike Lee em sua melhor forma, um filme necessário, forte e uma obra de arte.

Ainda assim, os dois já citados e Bohemian Rhapsody podem levar a estatueta para casa.

Melhor Filme – Musical ou Comédia

Categoria em que estou completamente às cegas: não assisti a nenhum dos indicados. Aplico então minha preferência pelos menores, mais simples, os tais underdogs (a esta hora não consigo achar a expressão em português que poderia aplicar aqui), e torço por Green Book e Vice. Acho que A Favorita pode levar.

Melhor atriz de filme – Drama

Todos falam de Lady Gaga. Eu gostei de Nasce Uma Estrela. Não amei, achei que meia hora a menos faria um bem imenso, adorei a música tema e Bradley Cooper está sensacional. Mas não, Gaga não merece essa indicação. Talvez ela ganhe? Sim, pode acontecer. Mas Kidman, por Destroyer, que ainda não estreou no Brasil, também está forte na briga – e sim, torço por ela.

Melhor ator de filme – Drama

Pronto, se precisam premiar Nasce Uma Estrela essa é a categoria: Bradley Cooper está espetacular. Ele transmite tão bem os dilemas de seu personagem, muitas vezes apenas com seu olhar, que é impossível não se apaixonar. Mas acho que ele em poucas chances contra Rami Malek, perfeito como Mercury em Bohemian Rhapsody.

Aqueceria meu coração se John David Washington surpreender e levar por seu papel em Infiltrado na Klan.

Melhor atriz em filme – Musical ou Comédia

Não entendi Tully nesta categoria. Mesmo. Mas talvez seja o fato de ser mãe e absolutamente não ter conseguido rir com o filme. Charlize Theron está maravilhosa no papel, então torcerei por ela de qualquer forma – lembrando que não posso julgar nenhuma das outras.

Melhor ator em filme – Musical ou Comédia

Palpite no escuro: Christian Bale por Vice (tem prótese, engordou para o papel, tem sotaque, o personagem é histórico). Mas a lista de indicados só tem nomes maravilhosos.

Melhor diretor de filmes

Bradley Cooper dificilmente levará em sua estreia em Nasce uma estrela, mas merece mesmo estar aqui na lista. Minha torcida, claro, vai para Spike Lee, mas temos Alfonso Cuaron correndo por fora por Roma (não assisti ainda). a coisa está bem disputada por aqui.

Melhor atriz coadjuvante em filmes

Amy Adams por Vice ou Claire Foy por First Man?Temos ainda duas indicações para A Favorita, Emma Stone e Rachel Weiz. Acho que Foy pode levar esse, enquanto Amy Adams fatura por Sharp Objects.

Melhor ator coadjuvante em filmes

Adam Driver merece demais por Infiltrado na Klan, mas temos Sam Rockwell por Vice. Ficarei feliz por qualquer um dos dois.

Melhor animação

Please, please, please, please, escolham Homem-aranha no Aranhaverso!! Eu só faço pedidos como esse três vezes por ano!

Melhor música para filmes

“Shallow” de Nasce uma estrela é uma música linda. Na torcida aqui.

TV

Melhor série – Drama

The Americans se despede e, tendo sido bastante injustiçada no passado, merece levar esta estatueta para casa. Mas vamos combinar que essa lista está de ouro e qualquer um dos vencedores será bem escolhido – ainda não assisti a Bodyguard, mas tanta gente boa recomenda que acredito estar aqui merecidamente.

(Ieiiii, acertei essa!)

Melhor série – Musical ou Comédia

Meu coração é de Marvelous Mrs. Maisel, ainda mais com essa segunda temporada magistral que ela apresentou, mas essa lista aqui é a verdadeira definição de tanto faz para mim: Kidding, The Good Place, The Kominsky Method são todas ótimas.

Melhor série limitada ou filme para TV

Sharp Objects deve garantir essa estatueta para a HBO, ainda que todos tenham adorado The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story – eu achei o trabalho do Darren Criss maravilhoso, mas não gostei do conjunto da série.

Melhor ator em série – Musical ou Comédia

Estava escrevendo este post quando Michael Douglas foi anunciado vencedor. Minha torcida era dele e se você ainda não assistiu The Kominsky Method, como diria uma querido amigo meu, PRIORIZE.

Melhor atriz em série – Musical ou Comédia

Rachel Broshnahan, The Marvelous Mrs. Maisel, rainha, pro resto nadinha.

Melhor atriz em série – Drama

Elisabeth Moss, The Handmaid’s Tale, Sandra Oh, Killing Eve, e Julia Roberts, Homecoming, disputam essa mulher a mulher e eu não sei escolher.

Melhor ator em série – Drama

Opa, opa, de novo fui atropelada pelo anúncio do ganhador. E eu não ia acertar nunca, achando que talvez Matthew Rhys pudesse se despedir de The Americans ganhando. Agora quem vai priorizar Bodyguard sou eu para ver se Richard Madden mereceu o prêmio.

Melhor ator em série limitada ou filme para TV

Ninguém tira essa de Darren Criss por The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story.

Melhor atriz em série limitada ou filme para TV

Amy Adams já está atrasada várias estatuetas na carreira e ela agarrou seu papel em Sharp Objects de uma maneira absurda.

Melhor ator coadjuvante em série, série limitada ou filme para TV

Alan Arkin é o parceiro perfeito de Michael Douglas em Kominsky Method, torcendo muito por ele.

Melhor atriz coadjuvante em série, série limitada ou filme para TV

Alex Bornstein, The Marvelous Mrs.Maisel, ou Patricia Clarkson, Sharp Objects? Não me peçam para escolher.

Tem ainda a única indicação de Westworld com Thandie Newton, cuja personagem adoro, então não ficaria triste. Já Penelope Cruz foi uma das coisas que não funcionou pra mim em The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story.

*******

Aquela atualização pós premiação: sem condições de assistir à cerimônia até o final. De novo. Primeiro ela precisa ser transferida para sábado, segundo ela precisa ser menos chata. Ainda que eu goste demais do Andy e Sandra, é terrível esse formato. Fica longo demais… Menos comerciais ajudaria, mas como esse é um dos espaços publicitários mais disputados, então tão cedo não vai acontecer.

A noite foi e não foi cheia de surpresas: Bohemian Rhapsody ficou com melhor filme e melhor ator, a segunda mais merecida que a primeira (ainda que eu tenha adorado o filme, não tem como colocar no mesmo patamar de Infiltrado na Klan. Glenn Close foi a surpresa, levando a estatueta de melhor atriz drama quando ninguém esperava.

Nasce Uma Estrela ficou com a única que realmente merecia, melhor canção, o que foi justo.

Green Book levou a estatueta de melhor filme comédia, merecidamente, enquanto Cuaron faturou melhor diretor. Amy Adams saiu sem nenhuma e se torna a nova “Leonard DiCaprio” de nossas vidas: dezenas de indicações por trabalhos excepcionais, nunca ganha, até quando provavelmente ganhará uma por um papel não tão bom assim.

Dizem que o mundo ficou estranho (Trump presidente, por exemplo) porque a vitória de DiCaprio confundiu tudo. Acho que premiar logo Amy pode colocar as coisas nos eixos novamente. Não custa tentar (e ela merece).

Infiltrado na Klan infelizmente não ganhou nada, mas Homem Aranha no Aranhaverso vencedor foi a melhor notícia da minha noite. Sharp Objects acabou ficando só com o premio de atriz coadjuvante para Clarckson (merecido), pra mim a verdadeira surpresa da noite.

Michael Douglas e The Method Kominsky foram também surpresa…. Pelo menos para quem não viu a série. Mrs. Maisel pelo menos ficou com melhor atriz.

Mas a rainha da noite foi Sandra Oh: ótima na apresentação, a atriz se emocionou ao ser anunciada vencedora, aquecendo corações. E a coisa só melhorou quando as câmeras focaram em seus pais vibrando intensamente pela vitória da filha. Para completar ela apareceu após a vitória segurando sua estatueta para apresentar os prêmios seguintes. Como não amar?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta