The Gifted: eXposed (1×01)

Em meio as muitas novidades no campo “heróico”, confesso que me sinto bastante cansada. Sim, ainda vibro loucamente a cada novidade sobre a Liga da Justiça (meu coração é da DC, fazer o que), mas a verdade é que a sensação de mais do mesmo vem antes mesmo de experimentar algo. E a recente olhada em Inhumans não ajudou nada nada a melhorar isso.

Pois não é que me surpreendi imensamente com The Gifted? E eu resolvi assistir apenas por desencargo de consciência.

Sim, ajudou muito o fato da série estar diretamente ligada a X-Men, cujos gibis e filmes sempre adorei.

eXposed inicia a história da série alguns anos após o desaparecimento dos X-Men, um mundo em que os mutantes não são oficialmente perseguidos, mas sofrem tanto preconceito e acabam sendo responsabilizados por tantos problemas que preferem viver nas sombras a serem considerados terroristas simplesmente porque perderam o controle de seus poderes por um momento.

O clima geral de tensão é bem demonstrado pelo episódio piloto, que nos apresenta a família central: Reed Strucker (Stephen Moyer) é um promotor acostumado a processar mutantes, Caitlin Strucker (Amy Acker) é sua esposa, que na constante ausência dele por conta do trabalho lida com os problemas dos dois filhos adolescentes,  Lauren (Natalie Alyn Lind) e Andy (Percy Hynes White).

A questão é que esses problemas ganham uma dimensão insustentável, quando Andy acaba praticamente destruindo sua escola com seu recém revelado poder enquanto enfrenta um grupo de adolescentes o atacando com requintes de Carrie, A Estranha, e Laurem também se revela uma mutante salvando-o.

A mesma polícia que normalmente age sob a concordância de Reed, agora bate a sua porta determinada a levar as crianças com eles.

A família então tenta fugir, entrando em contato com um grupo de mutantes que vive nas sombras – que no começo do episódio perde uma de suas garotas para a polícia, que acaba na cadeia sendo pressionada por Reed para revelar o paradeiro de seus colegas – e que, na tentativa de ajudá-los, acaba se metendo num confronto bastante difícil com policiais.

Enquanto Caitlin, Lauren e Andy conseguem fugir com a ajuda dos poderes dos demais mutantes, Reed cai nas mãos da polícia e algo me diz que precisará da ajuda dos mutantes que enviou para a cadeia para conseguir se reunir novamente com os seus.

Ainda que eu não tenha decorado o nome de nenhum dos demais personagens – uma garota que cria portais, outro que manipula matéria e um terceiro bastante forte – o piloto da série consegue a difícil conquista de nos fazer importarmos com eles e torcer imensamente por sua fuga, na verdade, a gente torce mesmo é pela destruição daqueles policiais todos e suas aranhas de metal.

Se a fórmula é a conhecida, a história funciona muito bem e a gente se diverte bastante assistindo.

Ansiosa pelo episódio de hoje.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *