NCIS: Keep Going (14×13)

Se nada mais do que eu assisti na semana passada tivesse sido bom, e várias coisas foram, eu não ligaria para nada simplesmente por Keep Going existir. Aquele episódio do qual eu não consigo escolher uma ou duas cenas favoritas porque ele foi inteirinho lindo, no melhor estilo aquece coração.

Agora, se vocês me obrigassem, colocassem uma arma na cabeça ou algo assim, eu te diria que o abraço de Gibbs e Palmer foi o melhor momento – e eu fiquei esperando por ele o episódio todo desde que Palmer disse que nunca tinha tido um abraço dele.

O episódio já começou certo pela escolha de Palmer como personagem principal. Ele é o personagem que sempre está ali do lado, que solta aquela frase que nos faz rir, que nós sabemos ter um enorme coração, que é o braço direito do Duck. Para falar a verdade eu nunca tinha pensado no que ele significava no grupo até este episódio, eu nunca parei para pensar o que aconteceria se ele deixasse a série. Eu nunca pensaria no nome dele caso ouvisse rumores de que alguém importante do grupo ia sair.

Só que a medida em que Palmer ia falando, as cenas do passado aparecendo, fiquei pensando no quanto eu sentiria sua falta e de como o grupo não seria o mesmo. Não estou dizendo que seria pior, a saída do Dinozzo para mim ia ser o fim e estou simplesmente amando Torres e Quinn, mas seria diferente. E eu sentiria falta dele.

Não foi só isso: conhecendo a preocupação que os roteiristas da série sempre tiveram em fazer o certo, em mandar uma mensagem, um episódio falando sobre alguém que chega perto de se matar porque tudo vem dado errado em sua vida e colocar Palmer contando que todos temos nossos dias horríveis, semanas horríveis, perdas doloridas – sem minimizar o sofrimento de quem chega a este ponto – passa também uma mensagem.

E meu lado coração mole fica aqui pensando que talvez ver este episódio tenha ajudado de alguma forma.

Além disso, agora nós sabemos que Palmer já é um médico. Acho que, na verdade, o episódio foi muito sobre isso, sobre percebermos o quanto Palmer cresceu sob nossas vistas, sem que a gente percebesse.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Adorei o episódio. Também fiquei esperando o abraço. Muito emocionante.Adoro o Palmer. E espero que o Michael possa participar do episódio que deve ter com o casamento do McGee.
    Simone, ando sumida nos comentários mas estou sempre atenta às suas revuews.

    Responder

    1. Oi Fátima!! A vida anda muito corrida, não anda? Eu tenho a sensação de que o tempo está passando rápido demais!

      Poxa, será muito estranho não ver o Dinozzo no casamento do McGee, também torço muito para que ele dê uma passadinha.

      Responder

  2. Também amei o episódio e quase chorei quando o Gibbs abraçou o Palmer.
    Será que foi só eu ou mais alguém também falou pro Gibbs que o Palmer não podia ouvi-lo? rsrs

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *