Chicago PD: I Remember Her Now (4×13)

Ao final deste episódio eu apenas queria abraçar forte a Platt porque o mundo é muito injusto e eu só posso imaginar o que a gente sente quando é obrigada a conviver com essa injustiça diariamente e sem perceber acaba tendo de esquecer parte do que vê.

I Remember Her Now foi mais sobre isso do que qualquer outra coisa. Ainda que a morte de Sam, a forma como seu corpo foi encontrado, sejam chocante, o fato daquelas meninas serem invisíveis e tão maltratadas é que fazia com que os olhos ardessem.

E foi Jay quem acabou vendo isso mais de perto ao acabar por se infiltrar na tal “residência” para menores infratoras. Onde elas eram exploradas pelas pessoas lá de dentro e umas pelas outras. Quando eles percebem que a garota já estava morta e alguém havia assinado que ela estava na contagem da noite você via no rosto dele o inconformismo.

Que só cresceu ao longo do episódio, junto com sua frustração. Quando todos começam a achar que Ellie o havia enganado, então, eu achei que ele se quebraria.

Jesse Lee Soffer pela primeira vez teve a oportunidade de carregar um episódio inteiro nas costas e ele esteve a altura da missão.

Aquele episódio que, ao terminar, ainda que o “vilão” tenha sido pego, você sabe que não existe final feliz. E a gente não quer pensar nisso por muito tempo porque sabemos que na vida real também é assim.

P.S. Falei do Jesse, mas não poderia não falar de Amy Morton que, mesmo quando Platt tem poucas cenas, brilha.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *