Chicago PD: Sanctuary (4×12)

Se tem algo que Dick Wolf gosta é usar a vida real em suas séries e, infelizmente, parece que a vida real está sempre contribuindo com material novo, como no caso de Sanctuary, claramente inspirado por recentes eventos na cidade americana chamada Charleston. Só que, desta vez, Wolf preferiu pegar como inspiração apenas o lado positivo dele, a união da comunidade após o caso de tiroteio ter sido resolvido e a comunidade se unido para reconstruir.

Aqui o caso, ao invés do tiroteio, trouxe a morte de uma garota e a acusação de dois rapazes negros, que acabam buscando abrigo em uma igreja. O clima não demora nada a escalonar, a comunidade preocupada com a rápida acusação que parece sempre apontar na mesma direção, o padre tentando evitar o pior e a equipe de Voight determinada a descobrir o que realmente aconteceu.

Ao criar o paralelo por conta dos suspeitos negros, Wolf aproveitou uma fala de Voight para tratar da questão do “perfil racial” muitas vezes utilizado pela polícia, ainda assim sem fazer sensacionalismo dele ou explorá-lo de forma indevida.

A tensão entre a polícia e a comunidade, então, acabam sendo o que determina a velocidade da investigação, afinal quanto mais demorassem a encontrar o verdadeiro culpado, mais perigosas as coisas ficariam.

A investigação acabou realmente seguindo outro rumo – aquela cena de todos encarando o congelador foi de virar o estômago e nós nem estávamos vendo nada – e os prováveis suspeitos iam sendo descartados, como o namorado estranho e o chefe com quem ela tinha um caso, até que o maluco Tillman se revelou um louco de pedra. Que quase matou um policial.

Sorte do Al que Burgess estava por perto, certo? Olha, eu tinha entendido uma coisa desse receio do Al com a Burgess, mas já passou da hora dele parar de frescura. A moça já provou que pode sim estar na equipe e ainda salvou a pele dele.

Encerrando o episódio ainda descobrimos que Atwater sonha em fazer sucesso com standup. Por essa eu não esperava… Mas depois que parei para prestar atenção, ele até que tem boas sacadas mesmo.

P.S. Os fãs de The Good Wife puderam ter um gostinho e rever Zach Grenier. Longe de seu personagem na série da boa esposa, aqui ele deu corpo ao padre que tenta proteger sua comunidade. O embate entre ele e Voight foi delicioso, afinal os dois apenas queriam o certo.

P.S. do P.S. É bom ver que Voight só recorre a sua “poupança para a aposentadoria” por bons motivos.

P.S. do P.S. do P.S. Que pedaço do passado Rixton não conta? Aquele ódio todo que ele demonstrou pelo padre, pela igreja em geral, depois de dizer que cresceu católico, me diz que ele esconde algo.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *