Criminal Minds: Seek and Destroy (12×10)

“Agora, nós começamos um bando de ladrões e o chamamos de Tom Sawyer Gangue. Todos que quiserem se juntar venham e escrevam seus nomes em sangue.” – Mark Twain

Um episódio sobre impressões. Passamos boa parte dele com a certeza de que um rapaz é a cabela por trás da maldade do grupo de jovens que destrói casas, rouba e então mata seus donos – e essa impressão é propositalmente reforçada pela forma que os primeiros assassinatos são mostrados e o segundo crime sendo executado claramente por ele.

Mas é Bea a verdadeira psicopata, a menina de olhos doces e expressão frágil. Uma garota lidando da pior maneira possível com seus problemas familiares. Ou melhor, encontrando nos problemas familiares uma desculpa para liberar os demônios que, conforme pesquisa da Garcia, já viviam com ela desde muito cedo.

Também foi um episódio colocando em evidência os novatos, começando pela primeira citação, continuando pelo fato de que foi Stephen que trouxe o caso para a equipe. O mesmo Stephen que, ao final, vemos falando com Prentiss da busca pelo senhor Scratch.

“Uma gangue é onde o covarde vai para se esconder.” – Mickey Mantle

Ou onde ele encontra sua platéia, não é mesmo?

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *