Chicago PD: You Wish (4×11)

Voight pai da Lindsay. Quem mais vai nessa aposta (sei que a Cleide vai!)? Sim senhores, a inimaginável noite em que Voight ficou com Bunny pode ter resultado em Lindsay. E eu tenho mais certeza inda disso depois de descobrirmos que o pai dela, bem, o cara que Bunny dizia ser o pai dela na verdade não é.

E pobre Jay, a Bunny mente e é com ele que Lindsay fica brava – ainda que eu entenda que ela pediu para ele não fazer, não foi nada tão grava assim e melhor que ela tenha sabido disso logo de uma vez, antes de criar vínculos com o cara. Ah, diga-se de passagem, o cara ficou bem P da vida, mas eu realmente não acho que Bunny tenha passado 30 anos mandando fotos para ele de caso pensado.

Ela realmente achava que ele era o pai… Só que estava super disposta a aproveitar disso agora com ele pagando o salão para ela. Ela é daquelas que consegue enxergar oportunidade em tudo, certo?

Agora, gente, vamos falar dessa força policial “especial”? Que coisa mais maluca pe essa? O tipo de coisa que só pode acontecer nos EUA mesmo!

Pessoas autorizadas a agirem como policiais, carregarem armas e prenderem pessoas. Para elas se sentirem autorizadas a fazer justiça com as próprias mãos é um pulo – além do fato de ser um chamariz para malucos, afinal para ser contratado por elas com certeza o processo seletivo deve ser bem mais fácil que o da polícia de verdade.

Por mais que, ao final, eles tenham tentado amenizar um pouco as coisas colocando o chefe do grupo fazendo um mea culpa na sala do Voight, a grande verdade é que algo assim tem mais riscos de dar errado que o benefício de sua atuação. Além de desacreditar a força policial verdadeira.

Ah, eu não assistiu Fire, por acaso essa guria que apareceu ao final do episódio falando para a Lindsay mudar de cidade é quem? Nunca tinha visto a pessoa e do nada ela parece ser a melhor amiga…

P.S. Os roteiristas de PD não são os mesmos de Med, são? Se são, é inexplicável a diferença entre as séries! Aqui os casos são bons e a história pessoal dos personagens é muito bem desenvolvida, sempre.

P.S. do P.S. Gente, o desconforto do Atwater, a situação toda da moça ter cortado o pênis do cara fora… Foi impossível não rir. Sim, esse tipo de violência é assunto sério, mas eu achei um acerto os roteiristas terem colocado esse lado mais leve, como uma vingança… Além do mais eu adoraria que alguns perdessem noites de sono pensando que isso podia acontecer com eles.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Confesso que eu tinha as minhas caraminholas por conta do Hank ser tão paizão com a Lindsay, então uma desconfiança sempre pairou na minha mente sobre o Hank ser o real pai dela …. e a única noite que rolou aconteceu, mesmo que Bunny negue.

    Isso me lembra The Blacklist !

    Mas que troço louco esse de Polícia Especial, só mesmo americano pra ter isso e ficar de boa.

    E não, aquela amiga da Lindsay só apareceu agora.

    Responder

  2. Torcendo muito para que o Voigth seja pai da Lindsey.

    Acho que no fundo ela também não tinha certeza a respeito da paternidade; mas queria se iludir um pouco.

    A polícia especial, está mais pra Loucademia de polícia.

    Também não me recordo dessa melhor amiga.

    Com certeza os roteiristas de Med são outros, pq são muito ruins de serviço.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *