Criminal Minds: Keeper (12×04)

Estou autorizada a começar pelo final? É que eu, assim como a Garcia, não resisto a um peludo e nós precisamos falar da Roxie, a cã que ajudou à equipe a solucionar o crime e acabou por derrubar a última barreira entre Garcia e Alvez, que na verdade nem estaria lá não fosse nossa melhor hacker do bem estar decidida a não gostar do novo agente.

Ela até pode continuar fazendo cara feia, mas a gente sabe que a gora o jogo virou para o Alvez.

Provérbio Cheyenne: “Fique longe do homem que não fala e do cachorro que não late.”

E vamos falar a verdade: a presença de Roxie no final do episódio foi bem necessária porque ele foi daqueles difíceis de engolir.

A equipe foi levada para o meio da floresta depois da descoberta de um homem que estaria sequestrando e matando aventureiros e eu fiquei muito surpresa quando eles descobrem que o suspeito óbvio, o homem claramente com deficiência mental, na verdade tentava proteger seu irmão, ainda assustado pelo fato dele ser um assassino.

A parte difícil foi ser confrontada com a história passada dos dois, eu não tenho estômago algum para cenas em que animais e crianças sofrem e a ideia do pai dos dois ser capaz de tudo que ele fez, nossa, quase me fez desistir de assistir ao episódio. A dificuldade não foi só minha: desta vez pudemos ver, pelo menos, a equipe tendo que queimar alguns neurônios para resolver tudo ao invés de Garcia sacar a resposta do computador.

Só que isso não muda a sensação final: um daqueles casos em que não existe final feliz possível, mesmo que o bandido tenha sido pego.

Em paralelo temos Reid tendo que lidar com sua mãe, cuja doença avança, e com o fato dele ver desaparecida a chance dela participar de um novo estudo. Só consigo imaginar por cima o que se sente em um momento assim, então devo dizer que ele recebeu o único conselho realmente válido: pegue um avião e vá ter bons momentos com ela, isso sim fará bem aos dois.

“O que existe de maior para a alma humana que sentir que aproveitou-se a vida, que ter para si silenciosas, indiziveis, memórias.”–  George Eliot

Agora, vamos combinar, eles precisam dar um jeito nessas péssimas frases sobre Hotch, nos deixando com algo entalado na garganta porque simplesmente não funcionam. Não está certo.

 

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Roxie quebrou um galho enorme \o/ linda demais, e fazendo a nossa Garcia perder um pouco de antipatia pelo Alvez.

    É triste saber o que houve com o Thomas e a série deixando essas desculpas esfarrapadas sobre o Hotch :/

    Quando os agentes descobriram que as vítimas eram as pessoas que estavam fazendo trilhas logo me lembrei da Lorelai de Gilmore Girl, ainda bem que ela desistiu …. essa foi só pra descontrair e poder prosseguir no episódio. Depois quando os meninos foram levados e presos me lembrei de um episódio de Supernatural, acho que ando vendo muitas séries.

    Penso que pessoas que não dariam bons pai deveriam ser estéreis, pois com tantos casais querendo ter filhos e não conseguem e saber que tem pais tão cruel …. aff é me deixar confusa.

    Responder

Deixe uma resposta