Grey’s Anatomy: Catastrophe and the Cure (13×02)

Não está sendo fácil esse começo de temporada de Grey’s Anatomy para mim. Seja porque eu gostei muito da anterior, seja porque eu sou incapaz de entender a escolha de fazer Karev sofrer da forma como eles está sofrendo.

Mais que tudo eu não entendo a dificuldade das pessoas a volta dele em serem mais compreensivas com o que aconteceu. Imaginem a situação: um homem chega em casa, vê sua namorada jogada na cama com um cara sobre ela, ela dizendo não, reagindo como se não estivesse gostando de algo. Sim, Karev exagerou nas porradas, mas eu acho que dá para entender a reação dele, entender que ele tentava protegê-la.

Aí nós vemos metade do elenco olhando para ele como bandido, um terço tentando entender, mas não entendendo realmente, e a Jo sem dizer nada. O testemunho dela seria o mais importante nessa história toda e qual a primeira escolha dela? Fugir. Ela não foge, mas também não ajuda nada. E eu nem vou falar da vontade que eu tenho de bate no DeLucca. De novo.

Para piorar ainda tivemos toda essa questão com o paciente dele que foi, afff, de partir completamente o coração. Só desculpo porque na vida real também é assim: parece que quando uma coisa dá errado, tudo começa a dar errado. Ainda bem que a Meredith, metendo os pés pelas mãos de vez em quando, não está deixando a bola cair.

greys-anatomy-catastrophe-and-the-cure-13x02-s13e02

Outra que está me deixando irritada no último é a Maggie. Qual é o problema dessa moça? E não é só porque eu acho o Riggs o par perfeito para a Meredith, mas porque eu não consigo entender essa coisa dela agora, essa fixação no colega dois minutos depois dela amar o DeLucca e pouco depois dela ficar super preocupada com o DeLucca. Infantil. Acho que é essa a palavra para ela a esta altura e eu devo dizer que a forma como a Meredith está conduzindo as coisas não está ajudando.

P.S. April e seu discurso de mãe solteira: me poupem.

P.S. do P.S. E ficar nesse nhenhenhem de Alex e Jo não tem porquê. Se eu entendo a reação de Alex, ainda que violenta demais, eu não consigo imaginar a Jo que fugiu do marido violento ficando com ele numa boa depois desta explosão dele.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *