Chicago Med: Brother’s Keeper (2×04)

Olha, Chicago Med faz companhia a Legends Of Tomorrow no quesito “séries cuja segunda temporada supera a anterior logo de cara”. Brother’s Keeper mantém o nível dos episódios anteriores, trazendo casos realmente desafiadores e agradando com seus personagens.

De novo eu vou falar que Ruivo e Mala, agora separados, estão muito bem em seus papéis, motivo pelo qual as olhadelas de Natalie ao final do episódio só porque comentaram que os dois ficam bem juntos serão majestosamente ignoradas. Os dois estão bem, felizes, nós também, para que mexer em time que está ganhando?

Verdade que a vida de Natalie não anda das mais fáceis: no episódio passado ela salvou uma criança, mas sabia que do outro lado do corredor outra morreria. Nesta aqui ela sofreu bastante entre a culpa e a impotência quando viu uma de suas pacientes mais antigas a beira da morte. Acho que nada pior do que estes dois sentimentos para uma médica pediatra.

No final das contas ela não era culpada de nada: a contaminação de sua paciente e de mais dois foi por conta de um item presente na máquina de endoscopia. Estou aqui dividida entre a incredulidade de que o FDA deixaria realmente algo assim passar sem estabelecer pelo menos um plano de substituição destas máquinas e o medo de ter de fazer uma endoscopia agora.

E sim, foi bem arriscado ela pedir ao paciente doente que aceitasse tirar o tubo para ajudá-los a chegar nas respostas, mas não dava para simplesmente não fazer nada, não é mesmo? E foi legal do Will ficar ao lado dela, acho que como amigos os dois funcionam bem, como quando o episódio começa e os dois falam do absurdo de tentar esconder um relacionamento que todo mundo sabe, já está rolando.

Rhodes também não anda tendo seus melhores momentos no hospital com a chegada de Latham , mas eu não esperava vê-lo pensando em fugir tão rápido. Tá, eu acho que até eu fugiria porque o cara é realmente difícil. Mas acho que ainda descobriremos que ele é um bom cara.

chicago-med-brothers-keeper-2x04-s02e04

E a filha do doutor Charles, gente? Alguém mais já não gostou dela logo de cara? Pode ser que a gente descubra depois que ela é legal e coisa e tal, ela deve ser bem competente em seu trabalho, mas por enquanto manterei distância.

Finalmente a trama que partiu meu coração: doutor Charles e Reese e o rapaz que provavelmente foi traficado. Eu simplesmente não me conformo deles não poderem fazer nada para ajudá-lo, para libertá-lo, para prender aquela mulher. Se eu achasse um chip de localização na barriga de um paciente que não me conta nada eu corria chamar o Voight pra resolver a questão.

 

 

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Rindo aqui sozinha, porque tenho pensado a mesma coisa a respeito dessa temporada de Med e Legenda, melhoraram muito.

    Will e Nathalie, muito melhor enquanto amigos. Peço a nossa senhora das séries que não junte esses dois.

    Dr Lathan, ainda não gosto dele e já não gosto da filha do dr Charles.

    Menino traficado, muito triste e muita raiva. Se eles tivessem chamado o Voight, tudo se resolvia rapidinho

    Que gracinha a Magie com os pacientes em coma. Momento fofo da noite.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *