Grimm: The Believer (5×16)

Já já a gente fala do wesen que se passava por pregador religioso – e vamos concordar que a existência de wesens se tornou uma lógica explicação para lendas e religiões – mas vamos começar pelo aperto que a Eve passou neste episódio.

Nada de perigo ao tentar pegar alguém perigoso, mas sim se ver na mais ridícula situação ao encarnar Renard e acabar na cama com a ruiva do mal. Gente, eu fui invadida por uma crise de risada quando vi a cara das duas na cama, a primeira achando que Renard simplesmente estava preocupado demais, a outra pensando “catso, como eu saio dessa agora?”.

Só o ridículo da situação explica a falta de reação da Eve, apesar de eu também não conseguir imaginar qual seria a reação possível, a não ser que seu telefone tocasse e ela dissesse que tinha de sair.

Grimm The Believer 5x16 s05e16

Agora sobre o pregador: um wesen cuja a aparência pode ser comparada a do diabo se tornou um pastor que usa de sua particularidade para convencer incautos de que ele retirava o diabo deles e o mandava embora. Parece improvável que nenhum outro wesen tenha passado por lá e denunciado a farsa, mas ele acabou mesmo é perseguido pela ex-esposa, incapaz de entender o que o marido era ou fazia.

Impossível não sentir um pouco de pena do wesen, afinal apesar de sua ideia ser um tanto torta, má pessoa ele não era – e ele pelo menos não achava justo matar ninguém em nome da sua fé, não é?

E, finalmente, vamos falar do graveto: um amigo de Monroe conseguiu mostrar o que estava escrito no tecido que embrulhava o graveto e o resultado foi um tanto assustador. Sabemos que ele curou Monroe, mas no tecido está escrito que ele é perigoso. Podemos interpretar que ele seja perigoso nas mãos erradas, mas pode ser que a gente simplesmente não faça ideia do que ele realmente é capaz.

De qualquer forma, nossos amigos parecem longe de respostas e depois da história da Eve como Renard não sei se poderão ficar sem “tomar um dos lados” por muito tempo.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *