NCIS: Incognito (13×03)

Poxa, ninguém pode ser feliz no amor nessa série? Ao que parece as coisas não andam bem no lar da Bishop e o namorico do Tony também desandou. Confesso que apesar da minha torcida eterna para a felicidade do Tony eu não dei muita bola para o fim do namoro, mas a história da Bishop me deixou de orelha em pé. Ela era como o DB em CSI, me dando a esperança de que nem todo mundo que trabalha do lado da justiça tem uma vida pessoal arruinada.

Se o problema é não poder contar com as participações especiais do Jamie eu não ligo, prefiro um marido de quem a gente só fala do que marido nenhum.

Sim, McGee está bem com a namorada, mas eu ainda lembro bem dela a beira da morte por conta de uma bomba e do quanto isso fez mal para ele. Pelas minhas contas, apenas Abby e o seu policial podem ser considerados um casal feliz nessa turma.

E não era preciso colocar o casamento em perigo para justificar Bishop e McGee trabalhando disfarçados juntos, não é mesmo?

Bom, problemas pessoais a parte, os dois precisaram interpretar o tal casal por conta do estranho caso que a equipe investigou desta vez. E ele foi estranho desde o começo se considerarmos que a vítima de assassinato ligou para o Gibbs antes de ser morto e Gibbs e Tony acabaram chegando a base logo que o corpo foi encontrado.

Uma nova definição de timing para vocês.

NCIS Incognito 13x03 s13e03

A coisa rolou de forma tão estranha que eu me senti um pouco como o Duck se sentiu ao descobrir que um relógio seria capaz não só de mapear todos os seus movimentos como mandar um relatório para o seu e-mail…

Ainda bem que isso é verdade, já que foi a única coisa que eles conseguiram achar para provar que a morte do tal sargento (era sargento? confesso que me perdi) não tinha sido acidente.

Coisa que eles só descobriram porque a vítima tinha ajudado o NCIS em um caso anterior e o Gibbs colocou na cabeça que as coisas estariam relacionadas.

Ao invés disso, demos de cara apenas com uma bela farsa para roubar uma herança – o marido da garota milionária arruma uma garçonete como amante e os dois primeiro a assassinam, picam seu corpo em pedacinhos colocados em meio a caixas de mudança e então a garçonete toma seu lugar.

E eu achando que a conversa com o tal advogado não tinha tido o mínimo sentido. Quer dizer, continuou sem sentido Gibbs querer falar com ele, mas acabou tendo função na história.

P.S. Bishop apenas descontou sua frustração no McGee, né? Porque ela não podia ficar brava com ele por ele ter falado com o Jake, já que ela nunca falou que seria uma surpresa.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. A única coisa que dava vida para a Bishop era o marido dela. Tiraram ele, bem que poderiam tirar ela também, não ia fazer falta alguma na minha opinião, ela é muito sem graça. Pior foi ver a Bishop e a Brody (Nova Orleans) juntas no 1ª episodio de NO. Opinião só de telespectadora, não de uma critica, apenas não gosto das duas atrizes e respectivas personagens.

    Responder

Deixe uma resposta