Quantico: Kill (1×04)

Gente, não tenho como não começar por: quanto de maquiagem uma fugitiva da polícia que pode ser reconhecida já que seu rosto está na TV e na internet é capaz de usar enquanto foge?

Dessas coisas tão ilógicas quanto o uso de saltos altos em perseguições que só a televisão e o cinema americanos são capazes de oferecer para você.

Bom, episódio quatro e eu acho que eu já reclamei mais de Quantico do que de qualquer outra série sobre a qual eu já escrevi aqui – e olha que eu falei mal de Scandal e Revenge por temporadas inteiras.

Bom, Kill mostrou momentos críticos da atual fuga de Alex, com ela quase sendo pega duas vezes, mas não acrescentou realmente nada no sentindo de termos um suspeito viável para o atentado.

Já as cenas do passado nos mostraram que as lágrimas de Alex pelo “pai herói” acabaram por atrapalhar a moça, mas nada que seu cavaleiro branco e a diretora do FBI não pudessem ajudá-la a superar – e a ajuda foi bem vinda já que o treinador resolveu colocar um alvo nela já na época do curso e porque ela é bem imatura, bem diferente do perfil que tentam carimbar nela a todo momento.

Eu definitivamente não entendo o que se passa na cabeça dele, qual é esse segredo terrível que faz com que ele queira a guria longe dali.

Diga-se de passagem, segredos são a característica marcante de cada um dos personagens:a diretora e seu filho, a dupla de irmãs, Simon e o fato dele não precisar dos óculos e não ser gay e até mesmo Shelby, com a recém descoberta meia-irmã, isso se ela disse a verdade para Alex.

Além da impressão de que ela acha que Alex está envolvida e não é somente por causa da investigação do FBI…

quantico kill 1x04 s01e04 Alex Shelby

Simon é o que mais me deixa confusa: usar o fato de ser gay para entrar no FBI porque não tinha capacidade para isso só com seu background? E agora, ele está ou não do lado da Alex? Porque a esta altura ele pode até estar trabalhando para outro cara que não o chefão.

Ainda que tenha funcionado bem melhor que o episódio anterior, Kill ainda carrega o que me incomoda demais na série: as tramas surgem e surgem e a costura entre elas não parece certa e esse bando de “crianças” não tem bagagem ou cara de quem consegue carregar o peso do protagonismo que lhes foi dado.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

5 Comentários


  1. Tenho a impressão que as séries atualmente querem só parecer modernas, com saltos de tempo, muitos segredos e tecnologia, mas no fim, o enredo fica bem rasteiro.

    Responder

  2. Quantico está parecendo Hostage, eu fico esperando que tudo tenha uma ligação, mas no fim parece que tudo é um grande emaranhado de nada com nada. Sem contar que a história funcionaria muito melhor como minisérie, pois não acho que tenha pique enquanto série.

    Responder

  3. Kkkkkk achei muito engraçado o seu comentário, falando que a Alex é a Olívia Pope jovem

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *