CSI: Immortality

Chegou a hora da despedida. Cá entre nós: passou da hora da despedida. Sim, nós continuamos, sobrevivemos até mesmo a terrível 11ª temporada, mas todos cientes de que CSI, aquela série que mudou a TV, coisa que acaba esquecida porque muita gente só lembra de LOST, já não mais existia.

Ela se perdeu em algum momento em que era mais importante manter a franquia mãe viva para poder lançar outras séries ou porque não tinha nenhuma outra série de potencial para substitui-la na grade e foi ficando. E daí que a maior parte do elenco tenha sido trocada, e daí que não havia mais criatividade suficiente para entregar dois crimes por noite, e daí que a audiência tenha caído um pouco, afinal ainda era maior de que muita série mais ou menos que eles exibem.

Sim, a gente até encontrou alguns motivos para sorrir depois da chegada de DB, o personagem que Ted Danson, que conseguiu trazer novos ares, e quem sabe até poderia ter feito algo realmente novo se tivesse tido a chance. Só que essa chegada foi tardia, a maior parte dos fãs já tinha desistido bem antes, e vimos a décima quinta temporada se esvaindo sem que pudéssemos realmente elogiar um episódio que fosse.

Mas uma série que significou tanto não pode simplesmente acabar assim, certo? Errado: porque se deram um filme de duas horas para encerrá-la, bem, desperdiçaram duas horas em um filme que tinha muito mais cara dessas últimas temporadas mais ou menos do que qualquer outra coisa.

Além de ferirem sem o mínimo respeito o coração dos fãs mais antigos: aonde estão todos os personagens das primeiras temporadas, que se não estivessem presentes poderiam pelo menos ser lembrados? Aonde está aquele vilão a altura do Assassino das Miniaturas que tivemos um dia? Aonde está a coerência sobre tudo aquilo que a série defendeu por tanto tempo: Grissom usando intuição ao invés de provas? Catherine envolvida na investigação sendo o que cassino dela foi a cena do crime? Sara batendo boca com a principal suspeita só porque ela era a Lady Heather?

Immortality (II)

Nick? Sim, o ator e os produtores bateram boca mais de uma vez, mas nem um nem outro foi capaz de passar por cima disso e dar um fechamento decente ao personagem? Porque ele não é nem citado. Nem Grissom, o homem que o treinou e que foi tão amigo dele pergunta sobre ele. Considerando que ele e a ex-esposa não se falavam há muito tempo, não teria como ele saber que o moço aceitou um cargo em outra cidade.

Brass? O único que ficou do começo ao fim e já tinha tido um péssimo episódio de despedida, ressurge como segurança do cassino de Catherine e não ganhou nem cena de visita a ele no hospital após quase ter morrido queimado na explosão de um carro em frente à casa de Lady Heather.

Finn? Mataram. Sim, a personagem pode não ter sido uma das minhas favoritas, mas merecia mais que um olhar de DB para a placa em que estaria marcada a data em que morreu em serviço.

Ao invés disso um vilão tirado da manga que queria uma vingança contra Grissom e para isso usou Lady Heather. Sério? O cara passa um tempão casado com a Sara depois disso e ele usa Lady Heather? Não seria melhor ele simplesmente querer a atenção dela? A explicação não pareceria mais convincente?

Greg, Morgan e Catherine tem seu momento cortando fios de bombas em um estacionamento de um prédio cheio de gente e eu não vi ninguém em nenhum momento pensando: não seria bom a gente pedir para evacuar a área?

DB passa o episódio sentado em seu escritório esperando que um programa decifre o que um misturador de imagens esconde, talvez numa preparação para seu futuro em CSI: Cyber.

Lady Heather é chamada para ajudar a eliminar suspeitos, nada de ler pastas, identificar perfis, encontrar materiais, fibras. Nada do que vimos a equipe fazer ao longo de 15 anos e que nos fazia voltar a cada semana.

Não teve rock rolando na sala do Doc, nem ele e o Grissom trocando piadinhas.

Grissom? Na boa? Podia não ter voltado. Sim, a principal pista do crime acabou sendo uma abelha presa em uma mala.  Mas trazer Grissom de volta só para isso? Ele foi tão mais para nós, fãs da série. Trouxeram ele para isso e para fazer com que ele e Sara ficassem juntos ao final.

Eu preferia que o romance ficasse para Morgan e Greg, por exemplo. Hodges poderia ter descoberto algo chave e feito piadas. Grissom podia até ter aparecido meio sem querer e acabar envolvido. Eu só esperava outra coisa. Algo mais leve, mais divertido, logo depois de um crime difícil ter sido resolvido.

Algo que nos dissesse: a gente não vai vê-los mais todas as semanas, mas, olha, o laboratório ainda continua o mesmo.

É, vida de fã não é fácil.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

9 Comentários


  1. Dizer q foi ruim é até um elogio……foi horrível. medonho, sem explicação nenhuma e uma falta ENORME de consideração com a gente fã.

    Responder

  2. creio eu que eu fui a única que curtiu essa despedida !

    só fiquei um pouco chateada por terem feito a Lady Heather virar a vilã, colocaram mais uma tristeza na vida dela com a morte da neta … putz a persoangem sofreu horrores com a filha e agora ainda fica sem a neta … Shondanizaram a personagem

    eu A D O R E I , senti falta do Nick mas fazer o que se seu personagem já teve um final

    os dois episódios na minha opinião foram ótimos, é claro que para quem como eu é fã de Arquivo X quando viu o ator que interpretou um vilão icônico já berrou É ELE !!!

    muito amor pelo Gil, já estava xingando os roteiristas por tentar estragar uma personagem rica e querida como a Lady Heather

    e obrigado por terem explicado a ausência da Finley …. a série realmente vai deixar saudades, agora é acompanhar o DB com a nossa eterna Medium em CSI: Cyber …. e já torcendo num futuro ver a Linsey a filha da Willows em algum lugar de CSI

    Responder

    1. Cleidoca, acho que até entendo você ter gostado, quando eu assisti eu não sai tão descontente. Mas quando comecei a pensar no episódio, nossa. E pra escrever então? Porque aí você começa a procurar o que elogiar e acaba descobrindo que tem o que reclamar. Quem sabe se eu não tivesse escrito o texto…

      Responder

  3. Lamentável, decepcionante…são algumas palavras que encontro para falar sobre esses episódios. O final foi igual aos episódios anteriores da última temporada, ou seja, bem meia boca.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *