Bates Motel: The Pit (3×08)

Se eu torço loucamente por quem não tem mais chance, neste episódio de Bates Motel eu também aproveitei e gritei com a televisão na tentativa de evitar o inevitável.

Como quando eu vejo Emma terminando seu namoro com Norman e já o imagino matando a garota, e a seu irmão também ao descobrir que o motivo do término é bem menos nobre, e berrava com ela querendo que ela fugisse com Dylan para qualquer outro lugar.

Ou quando eu praticamente implorava para que Norma falasse a verdade ao Romero ao invés de mentir de novo, porque falar a verdade ali era a única saída possível para que ela não destruísse suas já pequenas chances de ser feliz.

É, eu sei, tolice minha.

O erro maior de Norma foi tentar aquele acordo em aberto com Bob Paris, ele jamais se sentiria sossegado enquanto ela tivesse o pendrive, ele jamais confiaria que apenas uma piscina seria o bastante para garantir o silêncio dela.

Isso mais o fato dela ter surtado outra noite contando a verdade sobre Norman para o tal professor de quem a gente nunca gostou acabou por resultar no que vemos agora: ela ainda mais insegura e perdida.

Pior, ela insegura e perdida bem em meio ao pior surto de Norman, porque eu acho que desde a fuga dela ele jamais voltou ao estado normal dele – e o normal dele, bem, também não era lá essas coisas.

The Pit foi o episódio em que, ainda que a aparência de normalidade seja mantida, todas as decisões tomadas traçaram o futuro: Norma erra duas vezes, primeiro ao diminuir a importância do que James falou para Norman e que ele confessou realmente sentir, ao invés de “vamos procurar ajuda” ela escolheu “isso é super normal”; depois ela errou ao manter a mentira para Romero, perdendo a única pessoa pessoa que era sua aliada – além de ser o mais próximo de relação saudável que ela poderia conseguir.

Emma, coitada, não tem como perceber a confusão em que se coloca: apesar da aparente reação normal de Norman ao término, o que aconteceu hoje equivale a colocar uma bomba dentro do rapaz, que com certeza explodirá assim que ele ver a garota com seu irmão.

Por isso eu desculpo a trama das armas dada à Dylan: as cenas com ele e Caleb parecem tão soltas que parecem roubar tempo de tela, mas eu imagino Dylan chegando com o dinheiro para o transplante, quase um herói em um cavalo branco.

Ser como Dylan é uma meta inatingível para Norman, sempre dividido entre o amor pelo irmão e pelo fato de querer ter tudo que ele tem. Dá para imaginar o que ele sentirá em ver Emma com ele?

A já sensível e miníma estabilidade que ele ainda tem com certeza acabará.

E Norma, ainda tentando protegê-lo, será justamente a pessoa mais próxima, aquela que normalmente é mais atingida em uma explosão.

Ah, sim, Bradley de volta não é boa coisa.

Bates Motel The Pit s03e08 3x08 Norman

 

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta