The Blacklist: The Major e Tom Keen (2×15 e 2×16)

Quando terminei de assistir a The Major e vi que o episódio seguinte seria sobre Tom Keen é claro que eu fiquei de má vontade. 

Já não bastava eu ter passado um episódio inteiro aguentando Elizabeth contando tudo sobre a força tarefa a um juiz como se ele fosse um terapeuta e ela estivesse em terapia – porque ela não precisava sair contando o que contou pra provar a necessidade de confidencialidade e porque o que ela contou pareceu pessol demais – eu ainda teria que aguentar a volta do seu marido mala. Ninguém merece.

Na verdade, eu comecei tudo im tanto confusa, já que eu achava que Red tinha enterrado a investigação da morte no barco, mas descobrimos que a determinação de um detetive é capaz de desafiar até mesmo nosso anti-herói favorito.

Restou então a ele trazer de volta Tom, primeiro localizando o cara para quem este trabalha e depois o próprio em sua missão atual na Alemanha.

Assim descobrimos que Tom trabalhava para Red, e que Liz era uma de suas missões, depois que ele foi tirado de um lar adotivo e treinado como um agente especial. 

Acho que de todo esse tortuoso caminho do depoimento de Liz, que acabou por servir como um resumo para quem já tinha esquecido ou está chegando agora, o que relmente fez diferença foi saber isso – porque eu nào compro esse amor todo que fez com que Tom se entregasse para que ela escapasse, até porque ele escapou e, seguida.

Isso e a cena final de Tom Keen: Red vai conversar com Liz em um ginásio, aonde ela olha para a filha do homem que morreu por causa de sua insistência em manter Tom vivo e preso. 

Na conversa, um entristecido Red, fala sobre o fato de que você pode tentar de tudo para proteger alguém querido, mas esta do longe não é a mesma coisa. E em seu olhar ele pensa em alguém querido,ao olhar para Liz ele mostra arrependimento e melancolia.

O que apenas aumenta a minha aposta de que ela é sua filha.

The Blacklist: The Major e Tom Keen (2x15 e 2x16)

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário

Deixe uma resposta