The Blacklist: The Deer Hunter (2×13)

Antes de qualquer coisa, uma reprise do momento em que temos Red fazendo uma brincadeira com referência ao passado galã de James Spader (apenas deixo claro que ele continua sendo um galã para mim):

red aram the blacklist

Eu voltei a cena duas vezes, rindo sozinha e lembrando de quando Spader também tinha o seu topete. Mais engraçado ainda foi ver como Aram ficou encanado com a possibilidade de se tornar careca e, melhor ainda, ver Samar explicar para ele que uma barriguinha pode ser bem mais perigosa que a queda de cabelo…

Bom, esquecendo os momentos leves, tivemos um episódio um tanto fora do padrão: enquanto Red está preocupado em entender quem está do outro lado da linha, a equipe do FBI resolveu dar uma de BAU e ir atrás de um assassino em série.

Confesso que até perdi um pouco de birra com a Elizabeth quando ela está dando a sua palestra na faculdade. Não chega a ser um Rossi no quesito segurança, mas ela até se saiu bem.

Na verdade eu fiquei com a impressão de que esse afastamento de Red pode ter sido proposital por parte dos roteiristas, quem sabe nos mostrando outros lados da agente podemos nos apegar a ela, não é mesmo?

E ela, Ressler, Aram e Samar se saíram bem na missão, depois de uma bem vinda correção de percurso por parte do Red e de Elizabeth quase acabar morta ao encarar sozinha a assassina, que aproveitou a oportunidade de ter outro assassino em série no pedaço para encobrir sua missão de justiça com as próprias mãos com maridos abusadores.

Não, eu nem fiquei com pena dela, como bem colocado por Elizabeth, era apenas uma maluca mãe usando uma desculpa para poder matar.

Já com relação a trama principal da série: Liz finalmente admitiu que tem o fulcrum – gente, eu sempre acho esse nome horrível, só eu? – e Red a salvou de acabar sendo acusada de assassinato.

Só não sei se a ajuda dele foi o bastante para dobrar a resistência da moça..

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Não é só você. Fulcrum parece nome de arma de conto de ficção científica de quinta categoria. Ou, pior ainda, nome de remédio (para furúnculo, claro).

    Responder

  2. juro que para mim essa cena foi algo sem querer e acabou saindo e deixaram pois ficou ótima, e acredito que o Spader se divertiu em ter feito essa cena

    e que diacho de nome bizarro é esse : fulcrum ?!?! …

    Responder

    1. Menina, não parece!! A cara do Spader pro topete dele e de repente saiu, também acho!! Amei!!!

      Cara, e sabe que achei isso em algum outro filme… Até assustei, mas foi super rápido. Ou seja esse negócio é alguma coisa que existe!

      Responder

Deixe uma resposta