The Good Wife: A Weird Year (5×22)

Foi um estranho ano. Foi um maravilhoso ano. Eu não poderia encontrar duas frases melhores que essas para descrever o que foi essa quinta temporada de The Good Wife que, depois da construção simplesmente perfeita da saída de Will Gardner, ainda guardou para este último episódio uma surpresa e tanto.

E A Weird Year não tentou a missão impossível de amarrar todas as tramas lançadas após a morte de Will, mas sim fez uma abertura mais que adequada para o que nos espera no próximo ano, além de também nos garantir que estamos mesmo numa nova fase.

A fase em que o filho mais velho de Alicia sai de casa para a faculdade, ou seja, a parte “mãe” de Alicia ganha importância diferente e com certeza pesa menos quando o assunto é o “casamento” que ela ainda mantém com Peter.

Além disso, dentro de quatro paredes eles nunca foram tão verdadeiros quanto ao ponto em que estão: com a sogras inteiradas do acordo de Alicia e Peter, eles não precisam fingir dentro de casa que tem algo que não tem. Assim como Eli eu não acho que um acordo desse tipo possa realmente dar certo, mas enxergo essa nova situação como o primeiro passo para que eles assumam fora de quatro paredes que o casamento acabou.

Sim, Alicia ainda tem uma enorme dificuldade de lidar com o “fracasso” que seria admitir para todos que seu casamento acabou, até acho que ela tem mais medo que dificuldade, mas agora que sua mãe, sua sogra e seus filhos já sabem da verdade, bem, vamos dizer que as piores notícias já foram entregues.

E acho que é por isso que Eli dá aquela olhada para ela ao final, porque além de Alicia ser uma ótima, e péssima, candidata à procuradoria, essa situação lhe prenderia mais fortemente ao casamento que ela quer deixar para trás.

The Good Wife: A Weird Year 5x22 s05e22 Eli

E por que péssima? Vamos admitir, se Alicia angariaria facilmente muitos votos e seria uma candidata natural a suceder seu marido depois de ter demonstrado estreiteza de caráter, bem, ela já demonstrou mais de uma vez que política não é com ela, ela não está nem disposta a expor mais ainda sua vida e nem a fingir ser o que não é, e além disso as coisas poderiam ficar ainda mais tensas entre ela e Peter.

Finalmente, mas com certeza não menos importante, temos o fato de Diane chegar a Florrick Agos com a inesperada oferta de se juntar a dupla de advogados com seus trinta e oito milhões em contas com clientes. É fácil entender porque essa é a solução ideal para Diane – seria realmente um recomeço ao invés de ter que olhar por cima do ombro cada vez que entra no escritório – e também porque é a solução ideal para Cary e Alicia, que podem continuar com seu projeto de algo novo sem ter que contar cada centavo gasto.

The Good Wife: A Weird Year 5x22 s05e22 Diane Alicia Cary Robbin Clark

Eu realmente, apesar da surpresa com o aparecimento dessa possibilidade, acho que essa é a melhor solução, até porque coloca Diane, Dave e Canning oficialmente como rivais, como concorrentes, o que deve render momentos fascinantes, e dou aquele sorriso de canto de boca ao pensar como os roteiristas nos levaram a pensar que as únicas soluções possíveis seriam Alicia e Cary voltarem com o rabo entre as pernas para a LG ou, pior ideia, que Alicia voltasse e Cary ficasse as moscas.

Eu ODEIO ver Cary e Alicia brigando. ODEIO! Só odeio mais ele e a Kalinda juntos, então, por favor, que essa tenha sido a última vez deles!

Ah, sim, tudo isso depois de nos levar ao delírio com a tal câmera ligada na LG com o pessoal da Florrick Agos assistindo de camarote as artimanhas de Canning e Dave não somente para acabar com Alicia, mas para realmente destruir Diane – Zeeps e Hayden discutindo se deixavam ligada ou se não deixavam ligada a tal TV foi um daqueles momentos em que você confirma como esses roteiristas são bons.

The Good Wife A Weird Year 5x22 s05e22 Hayden Cary Alicia Zeeps

E também nos lembrando que saber o que os outros fazem quando acham que ninguém está vendo pode trazer à tona o que nós escondemos até de nós mesmos.

Ah, e o Finn? Sei que ele volta na próxima temporada, mas ainda não sei o que pretendem dele.

Falando em próxima temporada: Iiiiiiuuuhhhuuuu, Canal Universalllll, rola de estrear tipo, semana que vem?

P.S. Depois de Julianna ter perdido o Golden Globe para Ruth Wilson eu fui obrigada a assistir The Affair para comprovar se esta moça realmente o merecia. Conclusão da semana: não. Sim, The Affair é bem interessante, volto a falar dela no blog, e Ruth está bem em seu papel, mas em nada ela supera o que Julianna fez nesta temporada. Nada.

P.S. do P.S. Já com saudades? Clica aqui e aqui e descubra 5 fatos sobre Christine e Julianna que você talvez não soubesse ainda.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. The Good Wife é a série que quando chega ao final deixa um sentimento de prazer total por ter acompanhado tudinho …

    e a Dianne foi majestosa em sua decisão, foi a melhor para ela é claro e isso é um ótimo sinal pois não vai precisar ficar olhando pelos ombros em função dos sócios traíras, a opção de chefe da promotoria haaaa … é triste para quem quase foi ser juiza federal nem rola … ou seja a Dianne do lado da Alicia e de Cary é para deixá-la feliz e pronto

    e foi um verdadeiro absurdo o Eli propor a Alicia o gabinete da promotoria …

    delícia de episódio \o/

    Responder

    1. Essa virada foi a tirada de chapéu final dos roteiristas, eu não tinha aventado essa ideia, mas quando ela aparece você pensa “isso!!!”.

      Muito amor!!

      Responder

  2. Simone, a temporada foi perfeita. E estranha. Perder Will foi difícil e Diane é uma mulher majestosa. Alicia está se transformando mesmo e Finn é muito fofo. Mas Eli? Eli é Eli, simplesmente. E Kalinda não dura muito tempo na próxima temporada. A atriz vai sair. Bjs

    Responder

Deixe uma resposta