Chicago PD: Called In Dead (2×09)

Como assim Burgess ferida? Eu sei que, assim como para mim, nossa policial de uniforme é querida de todos os fãs da série e eu quase pulei da cadeira com o final deste episódio. Na verdade, se formos ver direitinho, ela sofreu do começo ao fim do episódio – nunca fica preso dentro de um carro com um casal que se separou dramaticamente. Burgess: fique bem!

Chicago PD: Called In Dead (2x09)

E esse foi um episódio tenso do começo ao fim, a ideia inicial de dar uma de bandido e pegar os traficantes no pulo pode ter parecido ótima, mas sem dúvida alguma Al acabou bem abalado, Lindsey acabou sendo empurrada para decidir o rumo de sua vida e todo mundo saiu de bico.

Sobre os traficantes: apesar da estratégia ortodoxa desde o início – e a Lindsey poderia explicar antes e melhor para Nadia isso, sobre o quanto ficaria mal para ela e coisa e tal – eu adorei a ação que ela proporcionou. Só que tem horas que o Voight acha que ele é intocável demais.

Sim, eu também acho que eles são f$#%@¨&, mas eles tem família e os próprios podem acabar na mira de uma arma, é muito fácil. Acho que além de terem se colocado em perigo, temo que o ocorrido enterre de vez o casamento do Al – mesmo ele tendo resistido a tentação de acabar com a vida do canalha ali mesmo.

Diga-se: momento pior pro Voight ter sugerido isso não existe, não é mesmo? Ele podia ter esperado pelo menos eles chegarem no carro.

Resta agora esperar pelo próximo episódio, por um Ruzek muito p da vida e como eles trarão de volta Lindsey para a equipe. Ou alguém acha que ela ficará muito tempo longe?

Só se o tio Dick Wolf tiver planos de mais uma série policial…

P.S. Pense, podia ser pior: esse episódio foi exibido nos EUA antes do hiato de final de ano e os fãs tiveram que esperar semanas até saber o que aconteceu com a Burgess, a gente só tem de esperar alguns dias.

P.S. do P.S. “Se não fosse eu, seria outro” foi a pior frase para justificar se tornar um criminoso que eu vi nos últimos tempos.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta