Chicago PD: A Beautiful Friendship (1×15)

E acabou. Quinze episódios na primeira temporada, todos eles excelentes. Chicago PD já deixou saudades enormes e foi agora há pouco, não é mesmo? Além disso, além da saudade, ele nos deixou cheios de coisas na cabeça.

Chicago PD: A Beautiful Friendship (1x15)

Porque se você está aí na dúvida se Voight tem ou não tem algo a ver com a morte do Jin, eu fiquei aqui pensando na merda que vai dar o fato da Burgess não conseguir resistir ao Ruzek – não estou nem aí para o noivado dele, quero é saber como vão ficar as chances da moça vir para o departamento.

No balanço: enquanto Lindsey conseguiu se livrar do fantasma trazido pelo Charlie – nem vou entrar no mérito do que ela fez porque eu duvido que qualquer um de nós fossemos culpá-la por ter protegido a amiga – e realmente parece mais leve. Já Antonio, coitado, acabou com uma casa vazia depois de voltar ao trabalho.

Entendo a esposa dele, não critico a decisão dele: se ele a ama, ele também ama o seu trabalho e nunca seria feliz fazendo outra coisa, o que também acabaria com o casamento. Dessas coisas impossíveis de se resolver, então o jeito é torcer para o amor falar mais alto e ela voltar pra casa.

E Voight? Bom, primeiro devo dizer que meu caso de amor e ódio com ele já virou só amor e mesmo que ele tenha algo a ver com a morte do Jin – e eu coloco aqui minhas mãos no fogo porque não acho que ele tenha – eu ainda ficaria do lado dele.

Acho que quem vai acabar se ferrando é o moço da corregedoria: duvido que o Voight não tenha colocado aquela grana na mão dele porque já não tem um plano armado para acabar com o sorriso amarelo do rapaz.

Então, ficamos assim: falta muito para a próxima temporada?

P.S. O título do episódio fala sobre amizade e eu diria que o episódio foi sobre parceria, sobre colocar o “seu” na reta pelo outro e saber quando puxar o outro de volta. O Jay ganhou pontos extras por isso.

P.S. do P.S. Burgess arrasou falando com a Platt, uma pena o Ruzek ter aparecido na casa dela em seguida. Se eu fosse ela eu também não resistiria.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. O noivado do Ruzek já foi pro espaço, mas tenho que elogiar a noiva, pois ela percebeu que havia algo errado e tratou de encerrar o romance, calando a minha aposta de gravidez. E vamos combinar, o Ruzek ia levar os dois relacionamentos em banho maria. A Burgess tem que dormir algumas vezes com o Ruzek, pra experimentar o produto e depois meter o pé na bunda dele e focar na carreira, que no momento é o mais importante e ela tem talento pra isso.

    Eu acho que não foi o Voight que matou o Jim, mas acho que o cara da corregedoria vai dar um jeito de colocar a culpa nele.

    O tipo físico da ex prostituta não é parecido com da mulher do Antônio? Hummm, não sei não…

    Responder

Deixe uma resposta