Chicago PD: The Docks (1×14)

O pessoal do departamento de inteligência de Chicago não brinca em serviço: quando acertam alguém da sua família você pega o cara. Rápido. E eu, deste lado da telinha, me confesso bem dividida entre deixar Voight resolver as coisas do jeito dele ou deixar que a justiça faço o seu trabalho como escolheram Jay e Antonio.

Chicago PD: The Docks 1x14 s01e14 voight cemitério dos policiais

Acho que um lado nosso – e já devo ter dito isso aqui no blog – sempre tende a apoiar os “justiceiros”, já que na vida real infelizmente é raro ver os maus pagando por seus crimes. Mas quando vi Antonio falando que não queria carregar aquela culpa, bem, eu também o entendi.

Só espero que o Pupo realmente fique na cadeia dessa vez – acho que ninguém vai pensar em fazer um novo acordo com ele depois dele ter matado vários policiais dentro do distrito, certo?

Por se tratar do penúltimo episódio desta temporada – mas já???? – eu fiquei esperando um desdobramento para o próximo, mas o pessoal do distrito conseguiu encontrar rapidamente o Pulpo e eles também não nos deixaram com o coração na mãe pensando no futuro de Antonio.

Particularmente eu prefiro assim, ainda mais porque aqui isto está longe de significar que teremos um final de temporada calmo – o roteiristas já nos mostraram que não tem medo algum de colocar nossos personagens favoritos em perigo.

E desconfio que ele possa estar relacionado com a pergunta de Charlie para Lindsey: você me deve, sim ou não?

Só de olhar para esse cara eu já tenho arrepios e sei, ah, como sei, que a coisa vai ficar bem feia ainda.

Finalmente, mas não menos importante: pobres Summer e Burgess. A primeira acabou fora da equipe porque ligou para o amante, a segunda ficou sem vaga na equipe porque se apaixonou pelo Ruzek. Certas as elefoas que só usam os elefantes para procriar e vivem com as amigas pelas selva.

Ainda tenho esperanças de que a primeira retorne, até porque acho que a traição de Jin será descoberta logo, mas não sei se Voight dará uma nova chance para a segunda.

P.S. A imagem deste texto, com Voight deixando o local aonde o nome de seu pai, policial como ele, foi eternizado, é do monumento Living Sacrife, parte do Sacrifice Space em Chicago e homenageia os homens e mulheres que perderam sua vida ao defender a cidade. Saiba mais aqui.

P.S. do P.S. Muito legal a conversa do Voight com o Jay, ele pode ter o jeito dele de fazer as coisas, mas isso não faz com que ele desrespeite o colega.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. O Voight é uma pessoa que arca com as consequências de seus atos e escolhas, sejam eles éticos ou não. E isso foi o que ele disse para o Jay, eu te respeito por lutar pelo que acredita e assumir isso sem nenhuma culpa na consciência. Muito legal.

    Muita emoção com o Al e a esposa.

    Coitada da Summer e Burgess, já perceberam que é sempre a mulher que se ferra no lugar do homem? O ambiente policial é muito machista.

    Tô ficando com crise de abstinência com o fim da temporada.

    Responder

    1. Olha, cada dia mais amor e menos ódio pelo Voight!! Risos

      Gostei demais do Al ter procurado por ela, espero que eles se acertem, nem consigo imaginar a culpa que ele sente pelo que ele e o Voight fizeram.

      Poxa, eu estava até gostando da Summer. Agora, que o Voight ficará ainda mais P da vida quando souber a verdade, ah, vai…

      Responder

Deixe uma resposta