Hannibal: Kaiseki (2×1)

E a melhor estreia do ano passado está de volta e Hannibal parece ter voltado mais faminto do que nunca – e isso nem é um trocadilho, não é mesmo? Com Will na cadeia sem lembrar o que aconteceu realmente, mas com a certeza de Hannibal o manipulou de alguma forma, nosso psiquiatra aproveita de sua “nova função” e brinca com o que Jack sabe, com o que sua psiquiatra sabe e com o que ele ainda pode fazer com Will.

Hannibal: Kaiseki 2x1 s02e01 will

O primeiro episódio da nova temporada começa grandioso: a luta entre Crawford e Hannibal, ainda que imaginária, serve para nos lembrar da estética tão cuidadosa da série, tão importante para sua identidade.

Assim como as imagens que Will projeta para se manter são entre os loucos, dentro daquelas grades e tendo que buscar pistas que o ajudem a entender o que realmente aconteceu desde que Crawford lhe pediu para ser seu consultor no agora longínquo caso do assassino de meninas.

Eu confesso ter começado o episódio já aflita, mas isso é um ótimo sinal: ao longo da primeira temporada vimos Will confiando em Hannibal, se tornando mais e mais dependente dele. Até que ele começa a desconfiar, ao se colocar de forma tão intensa no lugar dos assassinos, incentivado por Hannibal, ele começa a enxergar o que está subentendido.

E eu fiquei aflita porque ao longo de toda a primeira temporada enquanto Hannibal envolvia Will em sua sedução nós nos apegamos ao desequilibrado consultor do FBI. Fiquei aflita porque agora começou a contagem dos minutos a que teremos de sobreviver para ver sua redenção.

Will deu poder sobre ele à Hannibal e essa quebra de confiança o quase o levou à loucura. Porque ele não está louco, apesar de Hannibal fazer um teatro tão perfeito. E o psiquiatra brinca com isso, se sente desafiado.

Se sente poderoso. E Will se sente traído. E é o conjunto disso que poderá significar sua queda.

P.S. Confie no julgamento de um cão, eles não costumam se apegar a pessoas incapazes de se importar com os outros e essa é a definição dos psicopatas.

P.S. do P.S. Doutora Du Marier: cuidado com que o você fala ou vai acabar virando prato principal.

P.S. do P.S. do P.S. Sim, eu quase não falei do novo caso investigado pela equipe do FBI. A cena final foi assustadora, tanto quanto a ideia dele buscar um modelo perfeito, mas ele é apenas uma passatempo enquanto esperamos pelo desfecho principal.

P.S. do P.S. do P.S. Começamos com um banquete.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

9 Comentários


  1. Morpheus reviveu na luta com o Hannibal … acho que só eu é que ao invés de ver o Crawford lutando com Hannibal viu na realidade o Morpheus de Matriz ali …. heheheheheh

    mas Simone aquela luta na realidade é fictícia ? pra mim pareceu reaproveitamento do roteiro de Revenge que sempre começa a temporada com algo que irá acontecer lá pra frente, nos deixando na curiosidade pra saber como se chega até lá, no caso, como em 12 semanas o Crawford e Hannibal chegam as vias de fato de uma luta de vida e morte ?

    e volto a lamentar a decisão do AXN de abandonar a ótima dublagem da série para oferecer apenas a versão legendada
    🙁

    Responder

    1. Hummmm, não pensei nisso! Será que tivemos uma prévia de como a coisa vai ficar feia? O duro é que depois da bronca que eu peguei do Lawrence eu vou ficar torcendo pelo Hannibal 😛

      Eu não pensei em Matriz porque eu tenho a impressão de que todos os filmes que vieram depois dele passaram a ter a mesma estética quando o assunto é luta corporal. Acostumei.

      Já falei que eu não entendo: batem o pé, dizem que a audiência que pediu e no ano seguinte tiram – aconteceu com eles e com o Universal. Na verdade eles não sabem o que fazem.

      Responder

      1. mas o que me levou a lembrar Matrix não foi pelo aspecto estrutural da luta, foi pelo fato de que o Lawrence fez o Morpheus em Matriz e só me lembro deste personagem dele fazendo cena de luta

        😀

        mas pelo menos a Universal exibi a versão dublada mesmo depois de ter terminado a temporada, mas não estou crente que o AXN irá fazer isso

        Responder

        1. Também não apostaria. Assisti de novo Hannibal e aí prestei atenção a volta no tempo, então vai ser briga mesmo menina!!!

          Ah, me diz uma coisa: Dracula foi exibido com opção de áudio? Porque mandaram dublado no presskit da série.

          Responder

    2. Tá de sacanagem né? Reclamar por removerem aquela dublagem ridícula?
      Dublagem é para analfabetos. Ainda bem que agora temos apenas a versão legendada. Espero que isso aconteça com todas as séries.

      Responder

      1. Hérnan, por aqui defendemos a liberdade de opção, se olhar os arquivos do blog verá que eu sempre disse isso, que pelo valor que pagamos pela TV por aqui é ridículo eles fazerem o que fazem.

        Além disso, respeito é bom e cabe em qualquer lugar: não é porque a pessoa prefere dublagem que ela é analfabeta. Por muito pouco eu não apaguei seu comentário.

        Responder

  2. Hannibal continua excelente!!! E tb acho q a luta é um flashforward – a cada episodio nos aproximamos mais da descoberta do Crawford… E nao parece q vai terminar bem para ele!

    Responder

    1. Então, assisti ao episódio de novo e prestei atenção às letrinas na tela logo que a “briga” acaba e confesso que achei ótimo, porque isso significa que o sofrimento do Will dura no máximo uma temporada, afff!

      Responder

  3. Minha crise de abstinência terminou, afinal Hannibal voltou, e em grande estilo. Que saudade do Will e toda a turma, até dos cachorros.

    Como será o almoço de domingo na casa do Hugh Dancy? Ele vira pra Claire Danes e pergunta: E a Carrie, como está? Ela responde: Cada dia mais louca. E o Will na prisão? Ele responde: Tentando ficar lúcido, mas tá difícil. Ninguém acredita nele. E a Claire responde: É ninguém acredita nela também. Bom, acho que é melhor dar a papinha do neném, afinal de contas nossos personagens são desequilibrados, mas nosso filho não tem nada com isso.

    Responder

Deixe uma resposta