The Good Wife: Runnin’ With The Devil (4×16)

Muito mais medo do advogado velhinho que apenas aparenta ser atrapalhado do que do bandido grandão com cara de mau. Quem mais concorda comigo? Confesso ter ficado MUITO surpresa quando descobrimos por trás das perguntas inocentes dele ameaças veladas, mas, com tamanha confusão, só assim mesmo para Alicia conseguir livrar seu segundo pior cliente – nunca devemos esquecer do Sweeney.

The Good Wife: Runnin' With The Devil (4x16)

E esse não foi o único acertou de um episódio delicioso: a nova investigadora do escritório com certeza ainda nos arrancará muitas risadas e com certeza terá mais surpresas como a história do veneno nas unhas e o registro do portão; os embates de Diane e Will também servem como um indicativo de que os dois absorveram a crise de forma diferente e isso pode significar mais embates futuros; finalmente, temos Cary e seu movimento de saída. Tudo bem, não foi bem um movimento de saída, mas fica impossível negar de que nosso advogado está conhecendo o terreno lá fora e poderá surpreender Will e Diane, e Alicia, com sua saída.

Do lado decepcionante temos um esperado confronto entre Alicia e uma antiga colega de faculdade. O problema é que foi tudo muito morno, até porque foi o velhinho que resolveu tudo, e talvez tenham exagerado na antipatia da advogada, deixando fácil para que apoiássemos Alicia e ainda ficássemos na dúvida se seu filho foi realmente perseguido ou não.

Até porque, vamos combinar, assumir que ficou ligando para outros colegas quando o escandalo de Peter estourou, mas não fazer uma ligação para a “amiga” é típica coisa de gente falsa e era melhor ela ficar quieta ao invés de cantar isso como vantagem.

Finalmente, mas não menos importante: ela usou de uma mentira para “chantagear” uma testemunha a falar o que ela queria. Péssimo. Não é motivo para caçar a licença dela não? Affff!

Senti falta de Peter e Eli, ainda mais porque em teoria estamos as portas da eleição e muitas pontas ficaram soltas, como a tal história de Maddie e a loira que o acusou de ter um caso estarem ligadas. Questão é que no episódio de hoje sabermos quem levou e fico aqui pensando: se Alicia já ganhou importância sendo a esposa do talvez futuro governador quando ele nem era candidato oficial ainda, já pensou se ele ganha?

P.S. Cary e Kalinda. Não, por favor!

P.S. do P.S. Dizer para alguém que claramente gosta de um holofote de que você não carrega nenhuma lembrança dela é a melhor atitude.

P.S. do P.S. do P.S. Alicia bufando ao final foi a melhor cena. O que fazer quando você sabe o que está acontecendo, não concorda, mas ninguém admite ou não tem provas? Pior, quando tudo isso acaba tirando um problema da sua frente? Tem horas em que simplesmente é impossível você reagir.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. me impressionou o velhinho advogado, foi até cômico a situação, eu dei uma gargalhada quando a suspeita de ameaça vinha daquele velhinho tão atrapalhado

    mais um personagem ótimo para a galeria de TGW !!!

    a reação do Cary pra mim é muito justa, depois de tudo que ele viu ali no escritório até eu estaria arrumando um jeito de tirar proveito da situação

    como eu já tinha antipatia por ela em Private Practice então ela aparecer como promotora tratando a Alicia como lixo não foi difícil pra mim … e acredito que foi tudo armação da parte dela o que eu desprezo mais ainda pois colocar o próprio filho numa tentativa de ganhar um processo é baixo demais

    Responder

    1. Eu fiquei até com medo dele ao final. E Alicia ficou nunca saia justa sem tamanho, vi um monte de gente criticando o fato dela ter ficado quieta, mas o que fazer num caso desse?

      Cary se mostrou muito mais coerente que Alicia.

      Responder

Deixe uma resposta