NCIS: Past, Present and Future (11×2)

Eu não lembro se eu fiz cara feia quando Ziva chegou à equipe do NCIS. Lembro que eu ainda não tinha me recuperado da morte de Kate, tão dura, tão rápida. Em tempos de internet discada ninguém esperava por aquilo. A série ainda era nova, como assim vão matar um de seus personagens principais? Mas sei que a maioria dos fãs rejeitou a chegada de uma nova agente, quem sabe pela impressão de que os roteiristas queriam que nós nos esquecêssemos de alguém tão querido como Kate era – e foi desde a primeira briga com Gibbs e Tony naquele avião.

Só que os roteiristas não foram bobos, não arrumaram uma simples substituta, nos trouxeram alguém totalmente diferente:  Kate era séria e mãezona, Ziva uma moleca petulante. Aquele seu rabo de cavalo a tornava uma menina, as suas frases em inglês errado lhe davam certa leveza, a postura um tanto arrogante apenas mostrava o quanto ela queria se proteger. Com o tempo os fãs adotaram a agente do Mossad como membro da família, afinal, se Gibbs a acolheu desta forma, quem somos nós para não aceitar?

Alguns já vislumbravam um romance entre ela e Tony, mas não eu. Eu os via como dois irmãos que estão sempre brigando pela atenção do pai. Tony, que começou a amadurecer depois da perda de Kate, ainda precisava ver mais da vida, se levar mais a sério. Ziva precisava aprender a confiar e vamos combinar que Tony nunca parecer ser a pessoa certa para isso.

Mas o tempo passou, os dois amadureceram e defenderam um ao outro um sem número de vezes. Magoaram um ao outro também. Tony amadureceu após ter amado quando não podia e ter perdido. A dinâmica entre os dois foi mudando, de forma muito lenta para alguns, de forma bastante real para mim. Quem sabe os roteiristas tivessem algum receio de finalmente colocá-los juntos e isso estragar a dinâmica do grupo – vamos combinar que a tarefa não é fácil, por mais adorável que um casal seja.

Então ao longo da décima temporada, que foi extremamento pessoal para cada um dos fãs porque praticamente em todos os episódios os roteiristas focavam na história pessoal dos membros daquela tão amada equipe, fomos percebendo que talvez tivesse chegado a hora, que talvez o medo pudesse ser colocado de lado e os dois finalmente estivessem no mesmo momento e tudo indicava que o felizes até a próxima briga ia acontecer.

Mas então Cote De Pablo resolveu deixar a série e os roteiristas se viram com um nó a desatar e os fãs viram seu sonho de casal feliz indo pelos ares. Cheguei a escrever na fanpage aqui do blog que eu entendo que Cote tem todo o direito de fazer o que quiser de sua vida, mas que eu jamais a perdoaria por sua decisão – como se ela ligasse muito para isso. Porque no meu coração eu não poderia imaginar pior momento para ela fazer isso. Que ela tivesse sinalizado aos roteiristas ao longo da temporada passada “ei, segurem seus cavalos porque eu não sei se estarei aqui no ano que vem”, que ela tivesse contado antes dos dois últimos episódios da temporada passada que fosse, que ela permitisse não criarem tantas ilusões.

Com tudo isso em mente, ou no coração, fica difícil dizer que gostei do “encerramento” que foi possível para essa história. Uma Ziva que se esconde do outro lado do mundo e que resolve não voltar porque se arrepende da vida que levou? Uma Ziva que diz ter de ficar longe de tudo para poder recomeçar? Por mais bonita que essa história possa ter parecido, ela simplesmente não me convenceu. A Ziva que eu via ali na tela estava fria, não determinada. Estava distante, não apaixonada.

E o contraste ficava ainda maior quando olhávamos para Dinozzo. O homem que largou tudo por meses até encontrá-la. O homem que deixou a barba crescer, que deixou de fazer seu trabalho, que deixou sua casa, que seguiu cada pista. Ele merecia tanto mais que ela explicação vazia e que um beijo de despedida.

Acho que nós fãs merecíamos também, vocês não acham?

NCIS: Past, Present and Future (11x2)

P.S. Michael Weatherly ARRASOU no episódio inteiro! Você olhava para Tony e vi o quanto ele estava sendo movido por um só sentimento!

P.S. do P.S. Ah, sim, a tal trama da empresa terrorista também andou bastante e descobrimos que Gibbs não atirou no Fornell, mas no cara que Fornell protegia e que no final das contas era o verdadeiro terrorista. Trama muito boa que acabou sendo ofuscada pela necessidade de explicarem a partida de Ziva.

P.S. do P.S. do P.S. A única coisa é que do jeito que a trama foi escrita Ziva pode se arrepender e resolver voltar, só não posso dizer ainda se eu quero isso.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Menos ainda eu posso explicar porque ela se esconderia de Gibbs, logo dele. Ela podia ter feito aquela ligação muito antes.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

8 Comentários


  1. Simone, como te disse antes: a saída que deram para Ziva foi decepcionante. Acho que os roteiristas estavam com a raiva da Cote quando decidiram desse jeito, sei lá! E como você bem falou e pedi para saber sua opinião, o que me impressionou foi a atuação do Michael Weatherly. Meninas, a gente sentia, via, se comovia tudo o que se passava com ele. Foi lindo demais! Quanto ao resto da trama, foi bem legal, principalmente o tiro de raspão nos fundilhos do Fornell (rss).

    Responder

    1. Eu nem acho que foi raiva, eles simplesmente fizeram um final de temporada todo amarradinho com o começo da próxima e então ela me sai com essa e quebra as pernas deles. Ela podia elo menos ter aceitado participar de parte da temporada para que eles conseguissem escrever uma história decente.

      Mas Michael estava excelente, só quando a Jen morreu ele tinha feito isso.

      A gente sempre esquece do bromance Fornell e Gibbs e ele é tão bom, né?

      Responder

  2. O Tony de barba, nossa que lindo; porém a despedida da Ziva foi decepcionante e a história do terrorista achei bem fraquinha. Espero que os episódios não comecem a desandar.

    Responder

  3. Nossa vingança para a Cote de Pablo… poucos prosperam quando fazem a fama em seriado e migram para o cinema. Vamos aguardar.

    Responder

  4. Simone, acabo de encontrar o seu site e não consigo parar de me perguntar: “como só descobri agora”?!?!

    Você está de parabéns, adorei as suas resenhas!! Aliás estou a horas e horas aqui lendo sobre a série.
    Cheguei até aqui por causa de NCIS, mas vi que você assiste diversas outras séries que eu AMO, como Chicago PD (e jájá estou lá para comentar, rsrsrs).
    Acabo de começar a 11ª temporada e confesso que não estou sabendo lidar com a saída da Ziva (Socooorrooo God), por isso vim procurar conforto :'(
    Eu suuupeer shipava TIVA (sim, sou dessas que adora um casal em séries) e, estou louca para chegar na 13ª para ver o Tony descobrindo a filha deles, só não sei se serei capaz de lidar com a saída dele também.
    Obrigada por dividir essas resenhas! 😉

    Responder

    1. Oi Bruna!! Obrigada e seja bem vinda!! Sou louca por seriados policiais e é sempre bom achar alguém que divide a loucura.

      Entendo tua tristeza pelo fim do TIVA, mas eu achei que, dentro do possível, eles conseguiram dar um encerramento digno. E choroso.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *