Supernatural: Sacrifice (8×23)

Oito anos e Carry On My Wayward Son continua me deixando arrepiada a cada final de temporada de Supernatural enquanto desfilam pela tela cenas queridas. Se jamais teremos outra finale igual àquela em que Sam juntou-se a Lúcifer e o Impala quase foi destruído, Sacrifice não será facilmente esquecida e ficou a altura de uma ótima temporada – ainda que a gente não saiba ao certo o quanto Crowley foi danificado no processo.

Supernatural: Sacrifice (8x23)

Sim, o chefe dos infernos, nosso vilão favorito – com sotaque e tudo – foi pego pelos meninos da forma mais idiota possível, mas assim como ele eu não enxerguei o plano dos garotos, e acabou no meio de uma igreja para ser purificado pelo Sam. No meio do processo ele nos lembrou porque escapou de tudo até agora usando o sangue do caçula dos Winchester para pedir ajuda. O que ele não contava era com o ressentimento de Abbadon.

Acho que foram muito felizes nisso: é por isso que o povo do mau sempre se ferra, ao invés de ver a imagem maior ficam se prendendo as suas pequenas vinganças e desejos e acabam sendo passados para trás. Foi assim que Sam conseguiu um tempinho para se recompor, acabar com a ruiva e colocar Crowley de novo em posição de purificação. E se eu desconfiava de que ele não resistiria ao processo a confirmação veio logo de Naomi: se Sam finalizasse a purificação ele seria morto.

Corre Dean para salvá-lo, largando Castiel sozinho na tal missão de fechar as portas do inferno. Segunda desconfiança minha confirmada: nada de bondade por parte de nosso amigo Metraton, o rapaz queria mesmo era se vingar – Cara, anjos que querem se vingar! No fundo anjos, demônios e humanos são tudo farinha do mesmo saco, ou barro da mesma lama – e, como resultado, já que Naomi não foi rápida o bastante para impedir o plano, o céu de Supernatural ficou cheio de estrelas cadentes.

Ou melhor: anjos cadentes. Dá para imaginar o que vem agora? Juro, esses moços foram felizes com todas as tramas desta temporada.

Será que Sam se recupera? Será que Crowley foi afetado apesar do processo ter ficado pela metade? O que vai acontecer agora com anjos e demônios sobre a terra? Metraton vai virar o grande vilão da nona temporada? Ainda bem que setembro está aí.

P.S. Eu PRECISO de uma camiseta igual a de Abbadon: Devil Made Me Do It!

P.S. do P.S. Na verdade eu devo confessar que aceitava a camiseta, o cabelo, a postura, a bocona… Eita moça linda!

P.S. do P.S. do P.S. Ainda bem que não cancelaram enquanto eu xingava a sétima temporada.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

5 Comentários


  1. “Hello, boys.” “Hey, that line is mine”. 😛

    Carry on my wayward son é minha música do despertador – fiquei com medo de passar a odiá-la, mas acabou funcionando como o desejado e consigo acordar um pouquinho menos mau-humorada com ela.

    Responder

    1. Eu usei muito tempo como toque do celular, hoje estou com a música tema de Cracked, que também é ótima.

      Gente, pensando só em Crowley e os meninos dá pra continuar com a série por anos e anos, não é não? Amo!

      Responder

  2. Nessa temporada fiquei nervosa praticamente em todos os episódios. Mas fiquei muito chateada com a morte da Meg, gostaria muito que ela voltasse.

    Responder

Deixe uma resposta