Bates Motel: First You Dream, Then You Die (1×01)

Eu não ia assistir Bates Motel, mas já que a surpresa com Hannibal foi tão boa, resolvi dar uma chance. E também ganhei um kit de hotel bem bonito do pessoal do Universal me convidando e sou uma moça educada. Me manterei por aqui se a coisa não se tornar “terror demais”. Sim, eu tenho medo de filmes de terror.

Bates Motel: First You Dream, Then You Die 1x01

O piloto, pelo menos, foi bastante feliz em nos apresentar aos personagens e nos transmitir a ideia de que não caminharemos em direção ao terror, mas sim de um suspense psicológico de qualidade – ainda que eu olhe para a tela e continue vendo o menino da Fantástica Fábrica de Chocolate olhando para mim. Confesso que isso torna a coisa um tanto mais assustadora para mim.

Vera Farmiga nos entrega uma Norma Bates de causar arrepios. Ao mesmo tempo destemida e disposta a criar uma nova vida para si e seu filho, ela é extremamente controladora e raivosa quando algo não sai da forma como ela quer. Temos ainda apenas um vislumbre do efeito disso sobre seu filho quando ela tenta impedir que ele faça novas amigas, porque o problema não era o excesso de trabalho, e depois quando os dois cuidam de sumir com o corpo da primeira vítima deles na nova cidade – e ninguém merecia mais morrer do que o antigo dono do motel, temos que concordar nisso.

Mas nenhuma loucura caminha desacompanhada: se Norma quer controlar seu filho, ele também tem uma perigosa simbiose com ela. Uma admiração longe de saudável, algumas vezes parecendo que os dois pensam que são uma pessoa só.

Uma boa jogada é não nos mostrar rapidamente o que causou essa estranha ligação, ficamos então curiosos sobre o passado dos dois. A outra é o fato de nos apresentarem aos dois num momento de tanto isolamento, quando nos parece ser eles contra a cidade toda. Isso faz com que tenhamos a impressão de que está tudo certo na forma com que agem para na cena seguinte nos assustar com algum comportamento acima da linha da normalidade.

Ah, além disso tivemos aquela cena final no mínimo arrepiante e bastante intrigante: que garota está presa? Onde? Quem a está prendendo? Norman tem um desenho exatamente igual…

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. como sou uma fã super feliz por Hannibal também conferi esta série, alias fiquei chocada de me lembrarem que o Norman é a aquele pirralhinho que contracenou com Johnny Deep em e filmes …ohhhhh !!!

    eu achei que a Norma além de “algo não sai da forma como ela quer” o pior pra ela é dizer para ela que não pode fazer o que ela quer

    ficou bem redondinho de bom seu review, que bom saber que terei onde ler e comentar

    Responder

Deixe uma resposta