Person Of Interest: God Mode (2×22)

Eu nem sei por onde começar a falar desta season finale de Person Of Interest. Acho que a expressão em inglês “blow your mind” cabe bem demais neste caso.

Para organizar as ideias, então, vamos por partes:

O Passado

Person Of Interest: God Mode (222) harold

Todos desconfiávamos de que o andar de Harold e o destino de Nathan estavam ligados, então não foi surpresa descobrir que Nathan foi morto pelo governo antes de revelar em uma entrevista a verdade sobre a máquina e que Harold sofreu danos colaterais. Só que o fato de já sabermos disso não diminuiu em nada a tristeza de toda a história. A tristeza de sabermos que Harold nunca irá se perdoar por ter tentado fechar a porta dos irrelevantes para Nathan e, pior, com isso não ter impedido a morte do melhor amigo.

Por conta disso passamos a entender melhor porque ele continua mantendo Grace afastada e porque para ele é tão importante que Reese não se machuque, mesmo a missão de salvar inocentes sendo tão importante. Mais que tudo, entender seu passado é o que nos permite entender porque ele fez de tudo para que a máquina se mantivesse segura.

A solidão de Harold é impossível de ser mensurada.

O Presente

Person Of Interest: God Mode (222) a maquina the machine

Harold trabalhou de forma a garantir que ninguém faria uso da máquina para coisas erradas. Ao mesmo tempo ele criou o código que estaria em um vírus de quem tivesse essa intenção. Foi assim que ele garantiu que a máquina se protegesse. Mas nem mesmo ele imaginava do que ela seria capaz: a empresa criada para que redigitassem os dados apagados diariamente, o transporte dela própria para um lugar desconhecido. Harold deu a máquina algo que nenhum outro computador tinha e com isso talvez tenha criado um outro tipo de risco.

O governo não sabe para onde a máquina foi, mas continua recebendo os números, então acho que não se importa tanto com isso. Décima Tecnologia não conseguiu o que queria e eu não consigo saber se eles continuarão procurando. Na verdade, ficou nebulosa até mesmo a relação entre Harold e a Décima Tecnologia, já que eles sabem seu nome.

O governo descobriu Harold, mas não sei se terá interesse em eliminá-lo, assim como Shaw e Reese, até porque a “dama da limousine” fez questão de permanecer apenas com o leão de chácara de plantão, aquele que executa ordens sem questionamento e que oferece menos perigo ao “sucesso da operação”.

O futuro

Person Of Interest: God Mode (222) a maquina the machine reese root shawn harold

A máquina agora envia números para Reese e Root. Ela ainda entenderá os dois como seus administradores ou o processo iniciado pelo vírus fará com que ela se torne independente? Root também se tornará uma vigilante ou apenas recomeçará seu projeto de libertar a máquina? Não vejo muito sentido na segunda opção, já que a máquina demonstrou ser capaz de se cuidar sozinha.

Não minto, a imagem do quarteto deixando aquele galpão encheu meu coração de esperanças pelo que virá: tudo bem que Root é louca de pedra, mas quão maravilhoso seria vê-los todos juntos na próxima temporada?

Carter e Elias

Person Of Interest: God Mode (222) carter

Enquanto tudo acontecia, Carter era colocada na linha de tiro pela HR. Nossa detetive teve que vencer muitas barreiras internas para salvar sua própria pele e, de brinde, ainda salvou nosso querido Elias – como esquecer dele xingando aquele policial e sorrindo?

O futuro da detetive é o mais incerto até aqui: ela pode ser tornar uma parceira fora da lei de Reese, mas com isso ela perde o principal atrativo para nossos amigos e, vamos combinar, ela jamais seria feliz. Elias pode ajudá-la a recuperar sua vida, mas não sei se ela aceitaria. Resta então Carter buscar justiça logo nos primeiros episódios da próxima temporada, o que pode significar derrubar a HR por si própria. Seja qual for o destino, estou junto com ela na aventura.

O que fica

Person Of Interest: God Mode (222)  reese harold bear

Fica que Person Of Interest foi a melhor série desta temporada. Não importa a badalação, o sucesso, os efeitos especiais, a inovação. Fica a história bem contada, os personagens cativantes, os quarenta minutos semanais deliciosos.

Fica uma saudade imensa a espera da próxima temporada. Louca para saber qual das minhas teorias se confirmará ou se, de novo, esse pessoal vai me surpreender e me entregar histórias melhores ainda.

P.S. Beijo Urso!

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Adorei sua organização didática do episódio 🙂
    Apesar de gostar da Shaw e até da maluca da Roots não queria que mudassem a dinâmica com Fusco e Carter. Tem funcionado tão bem.

    Responder

    1. Olha, a Root é a que eu acho que menos se encaixa, acho que Shawn dá o maior caldo com o Reese. Mas adoro a dinâmica da dupla da polícia, só não sei como vão consertar a situação da Carter. Adorei o final da temporada, estou ansiosa pela próxima!

      Responder

  2. Simone, vc tem notícias de quando e se volta o Person of interest?
    Noite passada assistindo Crossing Lines, me deu uma saudades…

    Responder

Deixe uma resposta