Hannibal: Sorbet (1×07)

Ao chegar ao final deste episódio de Hannibal, me toquei de algo muito interessante: nos primeiros episódios eu até mesmo sugeri que trocassem o nome da série devido à importância que Will tinha, do quanto nos afeiçoamos dele. Alguns, apenas alguns, episódios depois, eu dispenso as participações de Will, cada vez mais fascinada por Hannibal.

Hannibal: Sorbet (1x07)

Tal fato mostra o sucesso em transmitir determinada intenção: sabemos que o principal duelo de Hannibal será com Will. Sabemos que a ligação deles, a empatia, é o que garantirá que este embate seja inesquecível.

Sabemos que, ao conhecer tão bem a solidão, o isolamento, o vazio de Will, o doutor Lecter se torna quase um porto seguro, já que a ameaça mais clara a sanidade de Will seria Jack. Então sabemos também, em seguida, o quanto será difícil para ele enfrentar a verdade de descobrir em Lecter o assassino que atormenta seus sonhos.

Além disso, entramos em uma fase nova: vemos agora Lecter como assassino porque as mortes estão sendo confirmadas. A gente sabia que ele era o assassino – todos nós já sabemos o final da história, na verdade -, mas nada nos preparou para ele emboscando aquele médico, por exemplo, seguido de um coração sendo assado.

Outro mérito da série reside justamente aí: se para os outros assassinos eles nos presenteiam com sangue e choque, com Lecter tudo é insinuado, tudo é elegante. Mantemos assim, de forma segura, nossa fascinação pelo assassino.

P.S. Não, eu não esqueci da participação da psiquiatra de Lecter, cuja aposentadoria ele optou por ignorar. Sim, é interessante vê-la citando a máscara, o véu, que Lecter usa. Sim, é interessante entender que ela enxerga que algo está escondido, mas não chega perto de descobrir o que é. Mas este foi apenas o início da dança entre os dois e prefiro esperar um pouco mais para falar sobre esta parceria.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

7 Comentários


  1. eu me juntei a sua impressão quanto ao nome dado a série pois nos primeiros episódios era o Will que reinava e Lecter parecia como coadjuvante … mas a cada episódio Lecter foi se mostrando a nós e agora com esse banquete es que Hannibal e seu reinado chega pra ficar

    acredito que Will irá a demorar a perceber qualquer traço de serial killer em Lecter pois tivemos detalhes revelados da vida dele que o fazem se tornar uma pessoa oposto : o fato de como o doutor encarou ter matado,ou melhor como ele disse não ter conseguido salvar o paciente no PS, e de como ele superou e se lançou no mundo da psiquiatria e da culinária … e ainda teve o fato do Lecter ter salvo a vítima na mabulância, então eu concluo que tudo isso o afasta de ser considerado um suspeito

    acho isso ótimo pois a interação entre Lecter / Will / Jack e Alana podem render muitas cenas interessantes

    e falar da presença da LINDA Gillian é muita redundância, eu quero mais e mais

    Responder

    1. Sem sombra de dúvida ele vai tomando conta de todo espaço disponível.

      Não acho que o fato dele ter falado sobre a tal morte e ter salvo aquela vítima seja o bastante para que Will não fique esperto, porque em mesma medida ele tem outros traços muito fortes, ele passa o tempo todo tentando disfarçar o que é, na verdade. Mas sem sombra de dúvida a decepção de Will será enorme quando descobrir.

      Responder

    1. Ainda não vi Fabi, tô tão enrolada atualmente que vou te dizer viu. Tenho visto How I Met Your Mother no Netflix enquanto costuro, porque não preciso prestar atenção direito, mas The Fall é daquelas de sentar e ver sem distração.

      Responder

Deixe uma resposta