Blue Bloods: Fathers and Sons (3×10)

A despeito de eu gostar muito de Blue Bloods, um pecado da série é sua previsibilidade já na 3ª temporada: a gente sabe que o Danny vai pegar o bandido, a gente sabe que o Frank vai ter um grande ato e a gente sabe que tudo acabará bem no final – o que significa que não corríamos risco algum do filho de Danny não sobreviver ao atropelamento.

Blue Bloods: Fathers and Sons 3x10 s03e10

Eu não acho isso de todo ruim, afinal eu sempre gosto de ver um final feliz na telinha já que a vida aqui fora não está coxinha e ainda tem o fato de tudo dar errado em The Following então é importante ver que alguém ainda sabe fazer o seu trabalho direito, mas talvez seja o caso de não abusar da gente com tanto drama se o final a gente já sabe qual vai ser.

Sim, adoro ver a vida dos Reagan, mas não precisava deixar o menino o episódio inteiro no hospital, não é mesmo? Um susto, o menino se recupera e a gente segue com a vida teriam me caído melhor neste episódio.

Além disso, eles demoraram tanto pra fazer o menino acordar que ao ver o ecologista-chato-ao-extremo pegando sua bicicleta eu já achei que tinha sido ele a atropelar o menino também. Vai falar que não teria dado um outro sentido ao drama dele? Ele fugindo do tiro que deu em altíssima velocidade e acertando o moleque e depois sendo pego pelo pai dele. Tô boa de roteiro?

Com exceção desse pequeno pecado, o episódio funcionou bem com relação ao caso do franco atirador e até que a dupla de Danny – não vou me dar ao trabalho de descobrir seu nome, desculpem – funcionou bem ao se colocar como apoio para o colega. E adorei o fato de terem pego a questão das vítimas usarem carros que gasta absurdos de gasolina serem o ponto em comum, daqueles detalhes que ninguém olha mesmo e só alguém tão bom quando Danny, que todo mundo fica repetindo que é um dos melhores detetives da cidade, ia pegar.

P.S. A despeito da previsibilidade da recuperação do menino foi legal abordarem a questão da culpa da Erin: quem já cuidou do filho dos outros sabe o quanto nosso coração se parte quando algo assim acontece.

P.S. do P.S. Também foi bom falarem do Joe e da culpa que Frank carrega, a morte de um filho antes de seu pai deveria ser proibida.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Simone, concordo com você em tudo que escreveu. Principalmente o último P.S. Já aconteceu na minha família e alguns membros não se recuperaram. Quanto ao nome da parceira do Danny é….. Kate (lembra alguém?)

    Responder

Deixe uma resposta