The Following: The Fall (1×6)

Gente, impressão minha ou o Kevin Bacon tá se divertindo ainda mais que a gente com The Following? Será que colocaram vodca de verdade na garrafinha dele? Porque eu juro que o vi rindo boa parte do tempo em que ele estava amarrado ou apanhando do trio o-amor-é-lindo-mas-já-acabou.

The Following: The Fall (1x6)

E acabou porque Emma, chorando lágrimas de crocodilo, partiu sem deixar rastro se mantendo no plano maluco desenhado por Joe. Diga-se de passagem, oh moço bom de  desenho: colocou seguidor na polícia local na cidade em que ia esconder o trio e o filho (eu já sabia que a loirinha era encrenca), colocou um cara espertão para salvá-los quando necessário, o que garantiu aquele susto quando os agentes entram atirando em outros agentes dentro da casa, e ainda mantém a advogada mequetrefe sob seu comando. Só falhou o alarme do Charlie, que só disparou quando a polícia e o FBI já estavam DENTRO DA SALA dele.

Viu, não é só o FBI que faz meleca!

E Ryan? Bom, como eu disse lá em cima, neste episódio fica claro o quanto Kevin Bacon está curtindo seu personagem e, também, fica claro que Ryan não está nem aí para a própria vida – o que está bem adequado se pensarmos no processo de autodestruição em que ele vinha – se resolver o problema maior que é parar Joe e seu plano. Confesso que até fiquei pensando em qual seria a cara do nosso assassino em série se Ryan morresse agora, assim, de sopetão, vai dizer que você também não fica curioso?

Mais importante de tudo: Mike e Parker são gente boa! Nossa, eu achei que nunca ia poder dizer isso. O primeiro tomou um p$%# susto quando a loirinha vira e atira nele, a segunda tem um passado bastante triste ligado a outra seita de seguidores, essa frequentada por sua família que lhe entregou de bandeja para o chefe mor. Então podemos entender que Mike é mesmo um fã de Ryan e que a segunda tem motivos bastante pessoais para ser boa no que faz – e a gente ganha motivos pra gostar dela.

Bom, a gente fica achando que eles são bonzinhos pelo menos até o próximo episódio, vai que o disfarce tão bem disfarçado também faz parte do plano.

Ah, sem esquecer a maior pergunta da noite: se os agentes do FBI são burros, o que podemos falar de Joey? Sério? O menino não é um bebê, uma criança de 3, 4 anos, que possa ser levado por qualquer mentira, que caia em qualquer truque. Ele já ouviu o trio, ele ouviu os tiros, ele viu a loirinha atirando em outro policial, ele percebeu a mãe desesperada ao telefone, ele sabe que o pai é uma assassino e apenas fala “sim, Denise”? Até minha cã é mais esperta que ele.

P.S. Emocionados com Jacob e Paul juntinhos no final?

P.S. do P.S. Claire batendo em Ryan porque ele não trouxe o filho dela de volta. Olha, ela também merece uns tapas, não é não?

P.S. do P.S. do P.S. Tudo bem que Emma apenas estava cumprindo ordens, mas eu tô achando que esse pode ter sido o maior erro dela: se Paul não sobreviver e Jacob ficar nervosinho pode acabar sendo um tiro no pé do grupo, mesmo com essa filosofia de cada um só conhecer um pedaço do plano.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Quando este episódio foi ao ar lá nos EUA, a segunda temporada de The Following foi confirmada. O que é bom considerando que realmente estou gostando da série, mas me deixa insegura. O que sustentaria a série para mais 13 episódios além dos desta temporada? Se eles tivessem abordado mais casos isolados, com os seguidores de Ryan matando por aí, eu acho que sim. Só que eles centraram tudo apenas na vingança dele. Até que ponto isso não será cansativo – tipo a Morena de Salve Jorge tentando fugir toda semana? – Homeland conseguiu, mas ela não contou a mesma história na segunda temporada, ela se reinventou. Existe espaço para isso aqui?

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

8 Comentários


  1. Simone, acho que o Ryan brinca com essa história, ele sabe que não podem o matar, não é a vontade do Joe, então ele arrisca mesmo, ainda que a autodestruição o apoie nessa meta suicida.

    Responder

  2. P/ mim este episódio foi um dos melhores. A história da Parker é dura. Mas dura ainda se pensarmos que realmente existiu uma seita destas no EUA, em que os próprios pais entregavam as filhas pré adolescentes para o guia espiritual da seita!
    Uma da melhores partes da mim foi quando ele foi visitar os pais, e eles perguntam se ela foi pedir perdão, e ela diz que foi lá para perdoá-los!

    E o triangulo amoroso? Já assiste capítulos mais a frente. É interessante o desfecho.

    Agora, quanto ao menino, apesar dele ter visto e ouvido tudo aquilo, ele foi criado pela Emma, ele confia nela.

    Responder

    1. Então Keila, eu fiquei pensando muito nisso. Essa coisa de seita é tão assustadora, né? Tem um episódio de Cracked, minha série queridinha do momento, que também aborda isso. Coisa de americano.

      Agora, não acho que seja desculpa pro Joey não, se ela não tivesse ouvido a própria Emma falando ou vendo-a com a arma eu ainda comprava a ideia. Acho mesmo que erraram na idade do moleque, ele precisava ser mais novo para ser tão conduzido, a criança de hoje com 6 anos dá nó em pingo de água.

      Responder

  3. estou vendo que vou me divertir muito lendo os reviews de The Following e Revenge por aqui Simone pois a minha empolgação é exatamente a mesma descrita por ti

    e como The Following já garantiu renovação vou ter muito que ler e me deliciar

    Responder

Deixe uma resposta