Foi num trecho de livro ou numa cena de filme?

livros e filmes que marcaram sua vida meme luluzinhacamp 2013

Genteeeee, eu odeio quando sou obrigada a fazer listas de preferência, tipo seus cinco seriados favoritos, seus cinco filmes favoritos, seus animais favoritos, por isso eu agradeci aos céus quando eu vi que o segundo tema do Meme de Janeiro do Luluzinhacamp tinha mais a ver com lembranças que com preferências.

Eu ainda me acho jovem demais pra fazer uma lista definitiva de livros ou filmes que marcaram minha vida – ela sofreria mudanças pelo menos semestrais para acréscimos e substituições -, mas é claro que lembro com carinho ou cito de memória alguns deles.

O Pequeno Príncipe (na base da pilha aí de cima) foi o primeiro livro que li sem ajuda, do começo ao fim e deve ser o campeão em número de relidas. A edição que tenho hoje foi comprada quando da exposição temática no Parque do Ibirapuera, a original, que ganhei de meu pai, estava em estado deplorável, com a cola seca e perdendo as páginas machadas.

Parece que, em algum momento, citar este livro como favorito virou clichê, mas eu não ligo, continuo adorando a ponto de carregar sua segunda mais famosa frase comigo por todo lado – a primeira é aquela sobre responsabilidade pelo que você cativa.

Já a série do Harry Potter foi amor a primeira página (existe, né?).  Lembro até hoje de pegar o primeiro livro por acaso num dia em que cheguei tarde demais à faculdade e fui comer algo no então novinho shopping Higienópolis. Li várias vezes (deve ser o segundo em número de relidas) e comprei em seguida o segundo, em inglês mesmo porque ainda não havia versão nacional.

A compra do exemplar em inglês antes do em português se repetiria toda vez que resolviam atrasar o lançamento por aqui. Viriam os filmes, os livros paralelos (história do Quadribol, um livro sobre criaturas mágicas, livros sobre JK Rowling) e eu continuaria devorando tudo assim que possível. Nem preciso falar do quanto fiquei feliz quando Carol finalmente virou fã (ela agora tem a varinha mágica da Hermione e uma linda e peluda Edwiges) e pude curtir tudo de novo.

Mas de forma diferente: assistir a Harry Potter como mãe foi demais. Entender porque JK Rowling escolhia esta ou aquela forma de falar sobre medos e dores foi tão delicioso quanto descobrir Harry Potter pela primeira vez.

Ainda na pilha aí de cima: O Físico, história bem contada demais sobre um rapaz buscando realizar seu sonho de ser médico e que viraria uma quadrilogia sobre sua família. Foi o primeiro livro de Noah Gordon que li e o que me tornaria fã incondicional do escritor.

A Menina Que Roubava Livros foi o primeiro livro que me fez chorar de soluçar em pleno metrô.

Julie&Julia: veja o filme, leia o livro. E depois leia Destrinchando, o outro livro da autora. Um livro sobre sonhos, descobertas e dificuldades. Sobre a gente se achar quando a vida nos dá novos caminhos ou quando a gente é obrigado a procurá-los.

Suíte Francesa me mostrou que as coisas nem sempre, ou na maioria das vezes, não é tão simples de explicar ou definir quanto gostaríamos. Nem sempre vilões e mocinhos são só isso, na maior parte das vezes são pessoas com defeitos, qualidades e medos, muito parecidas com a gente. Mesmo quando falamos da Segunda Guerra Mundial.

A elegância do ouriço: sem sombra de dúvidas um dos primeiros da lista de livros favoritos que eu jamais farei. Uma história delicada e apaixonante.

E, finalmente, as vantagens de ser invisível e do qual já falei logo no comecinho do ano. Existem livros que são lidos no momento exato em que deveriam. Já tiveram essa sensação? O livro como um todo é tocante, mas algumas de suas passagens se tornaram inesquecíveis porque eu o li agora, porque elas colocaram em palavras sentimentos que vivo hoje. Como a simples frase: “agente recebe o amor que a gente acha que merece.”

Filmes? Nossa, aí a coisa fica mais complicada ainda. Eles podem ser marcantes por tantos, tantos motivos diferentes. Apertadinhos aí entre os livros e a luminária você tem o Mensagem Pra Você (meu filme favorito), Um Sonho Possível (que levanta a moral quando você acha que está perdido) e Amélie Poulain (porque eu queria ser fofa como ela).

Você consegue se sair melhor que eu nessas listas?

Este post faz parte do Meme de Janeiro, uma iniciativa das interneteiras do LuluzinhaCamp, que tem como única intenção, a diversão. Porque somos blogueiras e adoramos blogar, simples assim. Se você tem blog, corre para participar, clique aqui e saiba mais.

P.S. A garrafa luminária aí da foto é obra minha e já está disponível para compra lá na lojinha, você viu? (Jabá!!!)

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Minha edição do Pequeno Príncipe também está caindo aos pedaços mas, mesmo que comprasse outra, não teria coragem de jogá-la fora… então nem compro. 😛

    Julie e Julia está há anos na estante, aguardando ser lido. Como tenho dado preferência a ler livros que passarei adiante, e como acredito que NÃO vou querer passar Julie e Julia adiante, ele deve ficar lá por mais um tempo.

    Responder

  2. Nossa, que missão difícil escolher os “preferidos”!
    Mas acho que se saiu bem. Gostei da sua lista!
    Também adoro “O pequeno príncipe”, mesmo não querendo ser miss. Rs Engraçado que cada vez que o leio, entendo uma coisa diferente.
    “A elegância do ouriço” eu comprei por sua “culpa”. Vi seu post sobre ele e fiquei mega curiosa. Mas foi um período de TCC do MBA, acabei perdendo o embalo e deixando a elegância e o ouriço de lado. Está na lista de leitura desse ano! Rs
    “A menina que roubava livros” também está na minha lista de 2013. Ele também foi abandonado… eu não estava numa época muito alegre e acho que escolhi o livro errado para fazer o tempo passar mais rápido.
    “Julie&Julia” só assisti o filme, que fofo de viver!
    Dos seus filmes, também adoro “Mensagem pra você” e amo “Amélie Poulain”!
    Bjs,
    Andresa

    Responder

  3. Si, que lista bacana. O PP é leitura certa. Quem já não leu? A frase primeira inicia minha agenda, sempre, há anos. 🙂
    Anotando as dicas dos que ainda não li.
    Beijo, menina

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *