Criminal Minds: Foundation (07×18)

“A memória é uma coisa complicada, uma parente da verdade, mas não sua gêmea.” – Barbara Kingsolver

Novamente a conclusão de que a mais normal das famílias pode esconder os mais terríveis segredos. E a conclusão de que nossa mente pode apagar o que vemos na tentativa de nos proteger, por mais que isso não seja o mais certo a fazer.

Sam, por exemplo, somente colocada sobre pressão e com a ajuda de Prentiss consegue lembrar do que viu no passado. Sua mente tentou protegê-la do sofrimento guardando aquilo no fundo do subconsciente, do outro lado, caso ela ainda se lembrasse talvez a vida de alguns garotos tivessem sido salvas. Mas ressalto o TALVEZ, porque depois do olhar que seu pai lhe lança na delegacia eu poderia crer que ele seria capaz de matá-la para manter seu segredo.

Do outro lado, também se prova que a mente é capaz das piores crueldades – nenhuma cena de violência, ainda assim, ao vermos Angel imaginamos o que ele passou e isso é de doer a alma – e tão resiliente – novamente é Angel e, também, Morgan, que demonstram a capacidade de se levantar, se recuperar, se reerguer.

Um episódio em que a parte de “fazer um perfil” pode até não ter sido grande coisa – Prentiss se apega a teoria de Sam logo de início e pouco espaço há para a busca de outros suspeitos -, mas com certeza foi sobre a mente criminosa.

“Nada fixa alguma coisa tão intensamente na memória como o desejo de esquecê-la.” – Michel de Montaigne.

P.S. JJ funcionou MUITO melhor aqui do que no episódio em que tentaram transformá-la num Chuck Norris de saias. Ela funciona nessas cenas em que é preciso conexão com as vítimas.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

11 Comentários


  1. Vamos falar do que interessa nesse episódio: alguém reparou que o Hotch abandonou o paletó e a gravata?

    Responder

  2. Para. Não reparei que Hoth abandonou o paletó. Talvez seja pq é uma cidade muito quente. O que eu acho é que Hotch não pode usar barba pq Morgan e Dave usam. E Tb acho que a namorada dele deve ser bandida ou vai deixá-lo, o que dá no mesmo, pois a atriz faz a série Scandal. (assisto a série e DETESTO, assim como muitos, sua protagonista. Alguém mais assiste?

    Depois de muito tempo, vi toda a equipe colaborando com o perfil. Geralmente é Reid e Penélope. ADOREI. Gosto quando as coisas ficam equilibradas.
    E eu jurava que a filha Tb havia sido sequestrada e voltaria a lembrar do fato – errei.

    Que olhar foi aquele do pai para com ela? Parecia bêbado. Não irado ou envergonhado… Estranho.

    Ponto fraco: Não explicaram pq que o homem fazia aquilo com os meninos, ou se explicaram eu não percebi. Alguém me ajuda?
    E dá-lhe Derek … Ninguém iria segurá-lo, gostei!!
    Os atores que escolheram para interpretar os garotos, deram um show de bolo, principalmente o Billy.

    Responder

  3. Sobre a série Scandall, quem eu detesto é a mocinha que criaram. Detesto o personagem e a atriz que interpreta. (retificando o texto anterior)

    Responder

  4. A série Scandall é porreta. Prende mesmo a atenção, mas tanto a atriz quanto seu personagem principal, não convencem. Feia, cheia de caretas, boçal. Os pontos que mais me irritam seriam os intermináveis discursos de Olívia Pope e o fato de todos idolatrarem a moça, fala sério. Contudo a série é ótima – É a mesma autora de Grey’s Anatomy e Private Practice

    Responder

    1. Não vi ainda, fiquei traumatizada com a outra da Shonda num escritório de advocacia. Como ela foi renovada eu vou ver se dou uma chance.

      Responder

  5. Não cheguei a ver Inside the Box (são jornalistas e não advogados). Acho que é a esta que te referes. Vi as duas prieiras teporadas de Anatoy Greys, desisti. Assisto Private Practice e gosto do que vejo; O que me irrita nas histórias de Shonda é que gira sempre na “cadeia alimentar”, ou seja, todo mundo “comendo” todo mundo. Muita troca-troca de casais. Isso lembra Barrados no Baile que eu amava/amo, mas que fica legal ali, não no locaql de trabalho, sei lá.

    Responder

  6. Só duas coisas a declarar…. mais um caso bizarro e show de bola o ator que faz a vitima…. que interpretação…..

    Responder

  7. Que ótimo episódio! Ficou no meu top 3 dessa temporada até o momento, isso porque não me lembro bem dos anteriores pra colocar no top 1. Que diferença quando o roteiro é bem construído, às vezes vemos uns eps corridos com profile mal explicado que 40 min parece pouco pra entender tudo. Esse eu achei que estava assistindo um ep de 1h, com a emoção de um filme. Os atores foram ótimos, e relembrar a história do Morgan me faz chorar sempre. Por um momento que o Angel ficou assustado sobre a mãe estar vindo, achei que ela estava envolvida em algo, mas era só o trauma, a vergonha e a humilhação de não querer ver a mãe depois do que passou. 8 anos!
    Quando estava desanimada com a 7 temp, sou presenteada com esse ep. E o Morgan socando o cara? É pra isso que vejo CM.

    Responder

Deixe uma resposta