Homeland: Pilot (01×01)

*Comentários sobre episódio inédito no Brasil, spoilers à frente

Eu não costumo acompanhar seriados novos pela agenda americana, grandes chances de que eles terminem pelo meio do caminho e eu fique decepcionada. Além disso, conta o fato de que eu simplesmente assisto coisas demais e não consigo escrever sobre tudo que quero, então uso a agenda nacional, mais distribuída, para garantir que eu consiga escrever sobre a maior parte do que gosto.

Mas, de vez em quando, arrisco dar uma olhada inicial, principalmente quando falamos de seriados procedurais, meus favoritos. Neste ano arrisquei: Person Of Interest (muito boa mesmo), Unforgettable (boa), Prime Suspect (não consegui nem  terminar o primeiro episódio) e Homeland. Das duas primeiras falarei quando estrearem por aqui, da terceira eu quero distância e da última, bem, não resistirei e vou sair falando pela agenda de lá mesmo, espero que não se importem.

Eu já tinha três motivos para gostar: Damian Lewis (que amo de paixão louca desde Band Of Brothers e Life – se não viu nenhuma das duas, corre lá), Mandy Patinkin (sim, Gideon de Criminal Minds) e sua premissa: um soldado americano é libertado no Iraque, 8 anos depois de desaparecido, enquanto a maior parte das pessoas o consideram um herói, uma agente da CIA, Carrie Anderson (Claire Danes), acredita que ele seja um espião de um grande terrorista extremista.

A guerra é um tema caro aos americanos, principalmente quando falamos de seus heróis, e a produção é FOX 21 e exibição Showtime, canal que costuma não ter medo de desafiar paradigmas em suas séries.

Os 60 minutos deste piloto voam: em alguns momentos você acha que Brody (personagem de Damian) é um herói, em outros um traidor; em alguns momentos Carrie é apenas uma louca, em outros uma mulher obstinada. Os cortes, as cenas escolhidas, tudo te desafia a se posicionar, para fazer com que você mude de opinião no instante seguinte.

Para termos dúvidas sobre Brody eles usam de suas entrecortadas lembranças, que mostram  que ele tomou parte na tortura de seu parceiro, preso junto com ele, mas que não nos mostram os motivos disso. Para termos dúvidas sobre Carrie, além de seu comportamento extremado, o fato de que ela toma Clozapina, uma antipsicótico bastante forte e pode estar apenas em surto.

Damian está ESPLÊNDIDO , para dizer o mínimo. As pequenas aparições de Mandy, como Saul, são precisas. Clare talvez precise corrigir um pouco mais o tom para que eu poder confiar um pouco mais. Morenna Baccarin (de V) faz a esposa que estava seguindo com sua vida, mas não tem coragem de dizer a verdade ao marido, como se fosse um pecado seu ter deixado de acreditar.

No todo o elenco funcionou muito bem e, com certeza, eu preciso saber o que vem em seguida. Mesmo com a cena do final do episódio eu não consigo, de forma alguma, concluir se Brody é ou não o traidor que Carrie enxerga nele.

P.S. Clare Danes está absurdamente magra.

P.S. do P.S. Adorei o detalhe dos dedos de Brody repetindo uma música ao piano. Pode ser realmente uma mensagem ou pode ser algo que o tenha ajudado a sobreviver 08 anos na prisão. Mais um detalhe pequeno e importante que nada esclarece, servindo para atiçar a curiosidade.

P.S. do P.S. do P.S. A Clozapina, medicamento usado pela personagem Carrie, é um antipsicótico usado para esquizofrenia, normalmente usado por pacientes que não responderam a outros tratamentos mais comuns. Ela é especialmente indicada em casos de alucinações e pensamentos de natureza paranóide.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

9 Comentários


  1. MARRRRAVILHA !!!
    você tirou palavras da minha boca, eu acompanho tantas séries que para não me perder e ter tempo pra ver tudinho eu prefiro seguir pela tv (apesar de todos os problemas … mas pra mim o pior são as legendas porcas, isso me tira do sério afff)

    eu já gostava desde que anunciaram que o Damian estava nesta série reforçada pelos mesmos produtores de 24 Horas o Howard Gordon e Alex Gansa, ou seja desde de o ano passado espero por esta série

    Clare Danes está absurdamente magra [2]

    hoje mesmo vou tentar assistir ao vivo, mesmo sem entender muito inglês se quiser o link é esse > http://tvpc.tv/Channel.php?ChannelID=3064

    Responder

    1. Cleide (finalmente vou colocar os comentários em ordem, aff): não vi ao vivo, mas já baixei o episódio e estou louca para ver o que vai me intrigar dessa vez. Fazia tempo em que eu não encontrava um seriado que me deixasse com cara de uó quando acaba, e olha que assisti duas vezes, viu, risos.

      Quando as legendas: elas e os intervalos me irritam por demais. Eu acabo baixando muita coisa, mas assisto na agenda nacional, as vezes no mesmo dia em que está sendo transmitida por algum canal daqui, apenas para eu não perder o controle, sabe?

      Responder

      1. eu assisti ontem ao vivo, claro que não pude entender algumas coisas mas o Brody na cena final me deixou chocada

        O.O

        é a melhor série sem sombra de dúvidas nesta fall season, o Damian assim como o Mandy / Claire e Morena fazem um time fabuloso

        ansiosa pelo próximo episódio e valeu por fazer review de Homeland pois poderei surtar com alguém … feliz por ser vc

        Responder

        1. Risos, como assim surtar menina? Hahahahahaha

          Eu tô apaixonada pela série, achei que tudo está funcionando bem demais, não entendo certas críticas que fazem por aí, às vezes parece que o pessoal procura do que falar mal.

          Responder

  2. O elenco é de primeira. confesso que custei a reconhecer Mand.

    Apesar de achar Clare Danes uma excelente atriz, acho que para Carrie teria que ser alguém mais madura, até a morena ficaria melhor…

    Adorei a série, mas tudo o que o ruivinho faz, eu adorrrrrrroooooo!!!

    E eu acho que ele encontrou a única forma de viver e sua família tb.

    Responder

    1. Libriane, pode ser mesmo… Mas estou adorando descobrir as coisas pouco a pouco, é legal ficar curiosa pelo último episódio para variar.

      Responder

  3. Oi, Simone!

    Ontem vi o primeiro episódio e já fiquei intrigada pra ver os próximos!

    Realmente, a coisa toda foi muito bem bolada pra nos deixar em dúvida. Acho até que, pra sobreviver, ele pode ter se convertido “de mentirinha”, até escapar do cativeiro. Sei lá, as pessoas em situações extremas são capazes de coisas que consideraríamos impensáveis em circunstâncias normais…

    Responder

  4. acabei de assistir o pilot e tenho que confessar que foi o melhor episodio pilot que eu já assisti.

    Responder

Deixe uma resposta