A Lara e Grey’s Anatomy

A Lara é uma grande amiga que me substituiu nos textos sobre Grey’s Anatomy lá no Teleséries. Assim como eu é uma eterna apaixonada pelo seriado, apesar dos tropeços. Assim como eu ela consegue enxergar um montão de qualidades na série. Diferente de mim, ela fez um texto muito legal falando do que deu errado e acabou dando certo.

Só que ela, que ainda não tem um blog para chamar de seu, não ia publicar esse ótimo texto que me permitiu ler, então eu larguei de lado o ciúme que tenho aqui do blog e pedi a ela que me permitisse publicá-lo. Então, como vocês uma outra visão da série, diferente da minha, mas também apaixonada. Ah, e não esqueçam de dar um pulo no Teleséries para ler os textos que ela escreveu por lá.

******************

Grey’s Anatomy não é uma série planejada, ao contrário, é uma série que vai se formando a partir de muitos imprevistos e é muito mais  influenciada pela audiência, a reação do público, os problemas nos bastidores – do que muitas séries por aí. Era pra ter sido uma série da mid season e, fez tanto sucesso que foi para a fall season. Alex Karev não era pra ser um personagem regular, mas ganhou o público. Addison Montgomery participaria de alguns episódios pra criar um empecilho para o casal principal, e fez tanto sucesso que ganhou um spin off. Cristina estaria casada com Burke se o ator Isaiah Washington não fosse um tremendo idiota. Não sei como estaria Izzie hoje, mas a personagem certamente estaria ali (casada ou não com Alex) se a atriz não tivesse saturado com o show e saído. Enfim, observe bem e você vai chegar a conclusão de que Grey’s foi formada aos tropeços.

A segunda temporada é exceção ao que estou dizendo. O especial deste segundo ano é que ele é bem bolado, a trama se encaixa, há espaço para todos os personagens e nada parece ser feito a trancos e barrancos. Por isso veio o sucesso, o reconhecimento e indicações à prêmios. E aí vieram também os problemas que prejudicaram tanto o show.

Todos sabemos os problemas que Isaiah Washington provocou nos bastidores, com a saída de um personagem importantíssimo como Burke, ficou uma lacuna a se preencher: quem ficaria como chefe da cardio?? Dilema que Shonda Rhimes não conseguiu resolver até hoje – personagem entra e sai e ainda não encontramos um com empatia o suficiente pra agradar o público. Não me levem a mal, Kim Raver é ótima, principalmente porque é uma atriz versátil, podendo ser utilizada em várias situações, mas a Teddy ainda não emplacou. Tinha uma paixão secreta por Owen, mas este casou com Cristina, e agora, depois de viver um triangulo amoroso com um psicólogo bonitão, se declarou apaixonada por um paciente, numa trama visivelmente reciclada de Denny Duquette, que de tão certo no passado, foi abordada novamente.

Outra trama feita de qualquer jeito foi a condução dos personagens Izzie e George. A produção, ao ver que a atriz tinha outros planos, devia ter preparado algo melhor para sua saída. Foi tão sem graça que nem mesmo me lembro por que ela foi embora. Apenas me lembro de uma participação em que Alex colocava um fim em seu casamento. E isso foi uma grande pena uma vez que, ao acompanhar o homem que Alex se tornou (falaremos disso mais adiante), vê-lo junto com Izzie seria tudo que um fã de Grey’s sempre sonhou. Até hoje não me esqueço daqueles votos de casamento, e das cenas dele cuidando da esposa no leito de hospital, você se esquece?

Da mesma forma George O’Malley. Sua morte foi uma crueldade com os fãs, mesmo quem não morria de amores por ele. George sempre foi importante para a série, e T. R. Knight sempre cumpriu bem seu papel de coadjuvante. Vale o destaque para o episódio em que perdeu o pai, para o timming cômico do ator, até mesmo para sua amizade com Preston Burke, então nada justifica a morte do personagem da forma que foi, esquecido a temporada inteira e sair repentinamente.

Um exemplo de tropeço para George foi quando reprovou no teste e repetiu um ano ficando atrás dos amigos. Aquilo certamente não foi planejado e convenhamos, acabou com o personagem e pouco acrescentou à trama.

Cristina podia ter tido o mesmo resultado, mas Sandra Oh, mesmo quando mal aproveitada, deu um show. A saída de Washington podia ter respingado nela, mas o personagem cresceu, e esse pormenor até contribuiu pra imagem de Cristina, pra sua personalidade como médica. Cristina Yang é uma das poucas personagens femininas bacanas na televisão. É extremamente competente e profissional sem deixar de ser mulher e feminina. Sem falar no humor ácido, na sinceridade afiada e na sua força pra vencer as adversidades. Owen às vezes ofusca toda a complexidade de Yang e, penso que seu amor é pelo o que ela pode ser e não pelo que ela é, mas ele foi outro tropeço que nos deparamos ao longo do caminho.

Alex Karev e Meridith Grey, por sua vez, são as duas coisas constantes na série.

Justin Chambers não era pra agradar tanto, mas foi em razão dele que seu personagem foi crescendo apesar dos imprevistos. Passou de um garoto mal educado, à médico imprudente, amigo dedicado e chegou à um homem competente, leal e – ético, olha só que ironia! Pensar que o mesmo cara que colocou fotos da Izzie de lingerie no armário dos médicos é o mesmo que cuida das crianças em Seattle Grace é o mesmo, não dá pra imaginar.

Aliás, dá pra imaginar que o médico que diagnosticou errado um bebê, lá no piloto da série, por preguiça de realizar exames, é o mesmo que criticou Meredith por ter mexido no teste clínico de Alzheimer? Não dá. Alex Karev é o melhor exemplo pra quem acha que um personagem não pode mudar sem perder a essência (oi House!), por que veja bem, ele continua sendo impulsivo e quando se trata dele mesmo vai besteira atrás de besteira, mas entre os cinco pupilos é o médico mais completo. Sua especialidade é outra coisa que foi sendo construída e serve como uma luva para a atual fase do personagem.

E claro, vamos falar de Meredith Grey. Não sei quanto a vocês, mas eu me apaixonei pela série por causa da protagonista. Não consigo nem mesmo definir Meredith, mas há uma beleza no fato de ser um personagem sombrio, uma mulher que não é perfeita que não sei explicar. E Meredith percorreu um caminho doloroso, já foi odiava por muitos fãs e vire e mexe alguém quer dar umas boas palmadas na protagonista. Se Ellen Pompeo bobear, Sara Ramirez e Chyler Leigh tomam o seu lugar, fácil fácil. Mas a inconseqüência de Mer é justamente o mais atrativo nela, sua postura transmite a mensagem de “gostem ou não, pra mim tanto faz.”. E por mais que se comportasse como uma criança antes, em relação a Derek, tudo faz muito sentido hoje diante da mulher que se tornou. Agora casada com Derek, eles já pensam em filhos. Consegue imaginar Meredith mãe? Pois é.

Enquanto os tropeços atrapalharam uns, ajudaram outros, para Alex e Mer eles não fizeram diferença, foram meticulosamente planejados. E digo mais, fizeram dos dois o carro chefe desta série.

E porque eu estou falando de tropeços? Porque toda essa análise sobre a série? Por que, bom, agora seria um bom momento pra se planejar, não acham? A sétima temporada encerrou um ciclo, pra quem não notou. É agora no início da oitava que os roteiristas e produtores precisam preparar o destino dos personagens e o público para a saída de alguns deles. O sucesso da série e a longevidade da mesma, seguindo os passos de ER, serão determinados a partir do que se fizer aqui, especialmente se Ellen Pompeo e Patrick Dempsey não renovarem seus contratos.

Até aqui os imprevistos fizeram de Grey’s Anatomy uma grande série. É graças a esses probleminhas que tivemos grandes episódios. Quem abandonou a série por causa do fantasminha camarada Denny, não viu aquela season finale perfeita da sexta temporada. Quem não aguentou muito antes disso o vai e vem de Derek e Meredith não está vendo-os adotarem uma criança. E quem não acredita ser possível a continuação de Grey’s Anatomy, após a saída dos protagonistas é porque ainda não entendeu que Shonda Rhimes pode vacilar (e feio), mas consegue sair por cima de qualquer situação.

Dificilmente veremos uma temporada tão maravilhosa como a segunda foi e, é característico da criadora ter um pé no dramalhão e um pé na realidade, mas a experiência até aqui valeu muito a pena, pude rir e chorar muito e, mais do que isso, pude viver muitas experiências através de cinco pupilos, os vi nascer, crescer e se tornarem grandes adultos.

E você, ainda acredita na série? O que falta pra este ser um ano maravilhoso?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

9 Comentários


  1. Vcs estão inspiradas hein meninas; Parabéns pelos ótimos textos que tenho lido aqui.

    Lara saudade de discutir com vc sobre GA e PP;

    Apesar que vc não ser mais masoquista rsrsrsrsrs; eu ainda sou!

    Responder

  2. Ei Tati!! Saudade também!! Você tem facebook? Vamo perder contato não hein? Mais uma fall season vem aí pra gente bater papo!

    Responder

    1. Oi Lara tenho sim…..se vc é amiga da Si no face eu tbém sou; Me adiciona lá é Tatiana Da Silva Siqueira;

      Verdade não vejo a hora 🙂

      Responder

  3. Também não me esqueço dos votos do Karev. As vezes, me pego assistindo esse episódio e ainda me emociono. Acredito que tenha sido uma dass cenas mais belas do GA.
    Infelizmente, preciso concordar com vcs. Como um casal que protagonizou tal cena acaba de um jeito tão superficial? Como o final de Izzie na série foi assim… tão sem noção, depois de todo aquele sofrimento e da descoberto de um amor que parecia verdadeiro?

    Responder

    1. Na verdade a saída da atriz realmente pegou o pessoal da produção de calça curta. Eles precisavam resolver logo, aí tiveram a ideia: dá um câncer para ela, péssimo.

      Responder

  4. A saida de izzie do jeito que foi ………sinceramente foi a coisa mais sem graça que já vi !!! não sei se a roteirista estava com raiva dela por ela ter pedido para sair mais sinceramente ela não merecia aquilo !!!!!! na minha opinião repito minha opinião a historia dela com Denny foi a historia mais bonita de GA vou contra quem queria que ela ficasse com karev acho Denny nota 1000 uma pena sua saida da maneira como foi!

    Responder

  5. Achei o blog por acaso, comecei a ler alguns posts sobre Grey’s Anatomy e gostei tanto que até deixei meus trabalhos de português para mais tarde. Enquanto lia, relembrava as cenas citadas e agora estou com lágrimas nos olhos ): Izzie sempre foi (e será) minha personagem favorita, na 5ª temporada eu chorei demais com ela e com o Karev, e ai ela sai da série daquele jeito tão sem noção? Não me recuperei disso ainda (e, por mais que seja meio impossível, sempre vou torcer pra ela voltar pra série e ficar com o Alex haha <3).
    Gostei muito dessa parte: "observe bem e você vai chegar a conclusão de que Grey’s foi formada aos tropeços.". Isso é fato. E vou acreditar na série pra sempre ?

    Responder

Deixe uma resposta