Falling Skies: What Hides Beneath (01×08)

E eu continuo na contramão de todo mundo: gostei bem desse episódio de Falling Skies (apesar de eu não sair pulando enquanto torço para que Hal mate um aranhão como fiz a dois episódios atrás e que minha filha não consegue esquecer; começa a série e ela me pergunta se eu vou fazer de novo #vergonha).

Tá, toda a culpa de Weaver, seu olhar perdido por conta da filha e da esposa e não sei mais o quê foi uó, né? Nada a ver com o personagem até aqui e não foi o tipo de revelação que acrescenta, sabe? Que torna o personagem mais rico, foi só um desvio de percurso desnecessário e que acabou por comer bons minutos do episódio.

Mas curti todo o resto: a descoberta de que os aliens não são exatamente os aranhões, mas uns humanóides altões que parecem saídos do Exterminador do Futuro 3. E que acabou casando direitinho com Anne descobrindo que os tais arreios apenas servem para transformar os garotos em aranhões. Eu não vi essa chegando. Eu achava que o arreio era uma maneira de ligar os meninos aos seus “guardiões”, mas jamais que fizesse tal mudança. E novamente fico pensando o quanto Ben está livre disso, até porque eu acho que Tom não merece ter de matar o próprio filho.

Do outro lado acho que nada mais justo que o povo evoluído use os humanos para limpar a sujeira – acho que faltou essa explicação, não é não? O que eles estão tirando daí? Será que o pessoal não deu importância para isso? Eu acho que faz toda a diferença.

E Pope? Poxa, melhor personagem ever!! Adoro o jeito loucão dele e achei legal ele e o menino mais novo do Tom descobrindo como destruir robôs. Agora a briga vai ficar boa.

Por último, mas não menos importante, Nina Sharp passou por aqui. Eu, que nunca tinha prestado atenção a atriz Blair Brown antes de Fringe – ela participou de ER, Law&Order e Frasier, mas sempre em papéis pequenos – achei legal sua participação como uma senhora que parece viver em um mundo só seu, após ter sido levada pelos aliens e devolvida, tendo seu chá garantido cada vez que entrega novos humanos ao pessoal de fora.

Participação pequenina, tipo homenagem aos fãs de sci-fi.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Tá, toda a culpa de Wilker ….. quer dizer Weaver

    estou preocupada com essa série, tirando o Pope não consigo empatia por mais ninguém e estou achando que ficarei do mesmo modo que fiquei com TWD, precisando de um argumento muito forte e bom para continuar a ver a 2a. temporada

    e o que valeu mesmo neste episódio … além do Pope, foi a aparição da Nina Sharp

    levei um tempoooo para identificar o velhinho que está lidando com os aparatos do rádio, ele é o sogro da Alison de Medium heheheheh

    Responder

    1. Ele mesmo Cleide! E meu pobre marido, coitado, que achava que ele em Band Of Brothers era um ex soldado de verdade que tinha estado na guerra. Quase chorou ao descobrir que o moço é ator.

      Sabe que eu gosto mesmo de Falling Skies. Acho que ela tem seus defeitos sim, mas eu tenho curtido na linha “uma série sobre pessoas”, risos. Só para pagar a língua de quando eu reclamava de quem falava assim de LOST.

      Responder

Deixe uma resposta