Parenthood: Happy Thanksgiving (02×10)

Segundo feriado americano favorito: acho sensacional esse conceito de tirar um dia para agradecer por tudo, de juntar a família, de se comer para caramba. Talvez eu goste tanto porque na minha família sempre tivemos muito dessas coisas, desses encontros, que se tornaram belas lembranças da infância – a mesa das crianças, o ter de comer tudo para ter a sobremesa, os adultos erguendo as taças de vinhos; bateu uma saudade, ai,ai.

E o super jantar da família Braverman não podia ser nada diferente, porque é uma família tão intensa em seus sentimentos. Achei só que Gordon não encaixava mesmo ali, não vi motivo para que Sarah o convidasse – a não ser a imensa vontade dela de encontrar o “seu alguém”, não lhes parece? – mas acabei gostando porque Adam pode perder um pouco de seu controle no jogo de futebol.

Jogo que só não rendeu as melhores cenas do episódio porque tivemos os quatro irmãos dançando na cozinha, sendo assistidos por seus pais que tentam recomeçar. Ou seria se reencontrar? Eu acho que Camile sempre está com cara de infeliz, mas ela tem tido momentos muito especiais nesta segunda temporada, como na semana passada e sua conversa com Haddie no centro comunitário e, aqui, com Amber. Amber disse de uma forma linda algo que, muitas vezes, nos esquecemos de dizer aos nossos pais, avós, tão queridos – e adorei quando ela diz que Zeek aprecia o que Camile faz só que é um incapacitado emocionalmente falando.

Anotei no meu To Do que, no próximo Natal, vou fazer o mesmo que Amber e expulsar minha mãe da cozinha.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Pois eu me identifico muito com a Julia – aquela coisa de se desdobrar em quinhentas pra não morrer culpada por não estar em casa e acompanhar o crescimento da filha.
    Sempre quis fazer parte de família grande; adoro esses almoços ajantarados. Infelizmente, nunca tive uma assim.
    Bjs

    Responder

    1. Eu acho que eu sou meio um misto de Julia e Cristina, mas mais a Cristina. Essa coisa de querer ser a mãe perfeita, sabe? Aquela que cabeceia, corre e defende?

      Responder

Deixe uma resposta