NCIS: One Last Score (08×17)

Sem opinião definida sobre a moça que acabou com a vaga do Dinozzo na Espanha. Apesar de eu achar uma tremenda falta de educação ela ficar ouvindo as conversas da equipe pela divisória e se metendo no assunto alheio. A dúvida é: por que transferida para cá de novo? Alguma relação com o estranho tratamento que o Vance anda dando ao nosso amigo Gibbs?

Sei que quem não gostou nada são os defensores do casal Ziva e Dinozzo, mas eu já não boto fé no casal há tempos. Primeiro porque acho que não combinam (golpes apenas acima da cintura senhores fãs), depois porque dificilmente eles reconstruiriam a relação após tudo que aconteceu da sexta para cá, não acham não?

Lado bom: adoro quando os roteirista remexem alguma história que tenha ficado pelo caminho nas temporadas passadas.

O caso da noite? Ah, divertido, principalmente com o rapaz falando da garota e do beijo ao invés de falar do cadáver. Mas nada demais, não é não?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

11 Comentários


  1. Simone de mim vc não leva nenhum golpe heheheheh
    até no começo torcia por TIVA, tivemos ótimos momentos e até hot 🙂
    mas ai aconteceu tudo aquilo, né !!! primeiro o Tony todo apaixonado pela aquela doutora e depois a Ziva e seu romance com aquele agente do Mosad … blheeee
    ou seja os dois já estavam chutando para fora

    então não acredito mesmo que TIVA volte, coisa totalmente diferente para Abs e Mcgee, esses dois ainda levam algum caldo

    mas foi legal o Tony todo safadinho pro lado da novata-que-pegou-sua-vaga

    Responder

    1. Sim, sim!! No começo era legal a brincadeira de gato e rato. Não dá mais para ser leve assim e os dois não funcionam de outro jeito.

      Responder

  2. Simone, minha querida, eu concordo inteiramente com você: Tony DiNozzo e Ziva David não combinam. Eu nunca suportei a ideia destes dois juntos. Principalmente, depois do romance entre Tony e Jeanne Benoit ( a médica à qual Cleide se refere).

    Em outros comentários, que fiz, aqui, eu defendi o casal Tony e Jeanne, inclusive, ansiando pelo retorno da personagem Jeanne ao universo de NCIS para que surgisse uma oportunidade de recomeço para os dois.

    Eu falo isto por uma questão de justiça. Justiça para Jeanne, que foi vítima da sede de vingança de Jenny Shepard, que no afã de prender o pai da moça, o criminoso internacional Le Grenoille, não levou em consideração os sentimentos de Jeanne e nem as responsabilidades inerentes ao cargo de Diretora do NCIS. Por que Jeanne tinha que pagar pelos pecados do pai? Não foi justo, nem moral e ético. Jeanne foi enganada, usada e, depois, descartada, sem mais delongas. Até Tony errou feio, claro.

    Muitos fãs de Tiva afirmam sentir raiva de Jeanne, por que ela denunciou Tony como o assassino do pai dela. Foi, realmente, uma atitude baixa, mas, em se tratando de mentiras e vingança, Jeanne teve dois ótimos professores: Jenny Shepard e Tony DiNozzo.

    Às vezes, eu me pergunto: não seria o caso de Tony terminar só, no final da série? Ele é bonito, inteligente e carismático, porém muito infantil, aventureiro. E será que Jeanne não se desvalorizaria, voltando para ele?

    Ah, nem mais o que pensar!

    Responder

    1. Observação complementar ao outro comentário: É… talvez a coisa seja ele ficar só e assumir o lugar de Gibbs. Caberia bem também.

      Responder

  3. Simone, quanto ao casal McGee e Abby, eu não tenho nenhuma restrição, muito pelo contrário. Os dois, assim como, Tony e Jeanne, formam um belo par. E não é só isto: eles realmente combinam. McGee e Abby possuem afinidades e respeito um pelo outro.

    Eu serei mais taxativa: DiNozzo é homem para transar; McGee é homem para casar (os homens não gostam de julgar as mulheres com estes parâmetros? Se me permitem a liberdade grosseira, eu uso a mesma fórmula para classificá-los). Ou seja, McGee é maduro, sério, sensível e sempre preocupado com os sentimentos e interesses das pessoas e, especialmente, das mulheres. Lembra-se, que ele admitiu ler revistas femininas para conhecer melhor as mulheres? Lembrea-se de McGee, todo sério e comovido, escrevendo um cartão de pêsames para a família de uma moça assassinada? Quantos fariam isto, hoje em dia? Escrever de próprio punho para desconhecidos? Um agente federal ter tempo para fazer esta delicadeza?

    McGee também não tem vergonha de mostrar sua insegurança, fraquezas e de lutar para superá-las. Enfim, ele é fofo demais!

    Felicidades e torcida para McGee eAbby!

    Responder

    1. Oi Gabriela,

      Desculpa não ter respondido seus outros comentários, você acabou chegando no site numa semana em que ando super enrolada.

      Assim como você eu fiquei encantada com Jeanne e triste demais com tudo que aconteceu depois. Ela conseguiu mudar muita coisa em Tony e a química dos dois era incrível. Porém, depois de tudo, acho difícil algo nesse sentido ser retomado. Quem sabe essa nova agente pode mexer com nosso eterno meninos.

      Já Abby e McGee, Ahhh, os dois são demais juntos. Eles se entendem bem demais. E sim, McGee é um graça e pode cuidar da Abby, que tem toda aquela imagem, mas é uma menina tbm, né?

      Responder

  4. Querida Simone, não se preocupe com a demora em responder aos meus comentários e, como diz o nosso amado e gatíssimo Gibbs, não peça desculpas, pois é sinal de fraqueza!

    eu me sinto muito feliz em participar do seu blog e, sempre que eu puder, não perderei a oportunidade de deixar a minha opinião.

    Beijos e obrigada,

    Gabriela.

    Responder

Deixe uma resposta